VII Encontro Convívio “Geração de 70” de Ançã

No passado fim-de-semana, 14 e 15 de Maio, realizou-se o VII Encontro-Convívio dos ançanenses nascidos no ano de 1970.

A iniciativa, que aconteceu sob o lema “Geração de 70 – a geração que marca a diferença”, contou com um programa muito diversificado e culturalmente rico e teve como intuito promover o encontro e convívio de todos os que têm em comum o ano de nascimento e o amor a Ançã.

Como tem vindo a ser apanágio nestes encontros, à gastronomia juntou-se a cultura. Deste modo, o grupo visitou Sintra, desde a serra, com toda a sua beleza paisagística e natural, aos espaços museológicos, como o Museu de História Natural e o Palácio da Regaleira. Na viagem de regresso, ainda houve uma passagem pela Boca do Inferno e por Cascais.

Não faltou também a tradicional romagem ao cemitério, recordando os que já partiram, e, no Domingo, a participação na Missa.

De acordo com uma nota enviada ao AuriNegra, este encontro assenta em quatro aspectos distintos: “Um primeiro é a dimensão do reencontro. Alguns dos participantes já não vivem em Ançã, e mesmo para muitos que aqui vivem, nem sempre se proporcionam momentos de (re) encontro”. O segundo aspecto é a “dimensão celebrativa. De encontro, de festa, de convívio, de celebração da vida, aqui e hoje. Em tempo de crise faz bem celebrar, ser optimista, descobrir estes aspectos positivos da vida”.

Em terceiro lugar, vem a integração.

“Há o acolhimento de todos aqueles que, tendo nascido em 1970, vivem agora em Ançã, porque casaram e vieram viver para cá, ou simplesmente porque moram cá”. Por fim, existe uma “dimensão de futuro. De não deixar morrer estes laços de amizade e companheirismo, agora que a ‘ternura dos 40’ – slogan do I Encontro/Convívio os voltou a reunir”.