“Viagens e Estudos” de Herculano Batista na Casa da Cultura de Cantanhede

Mais de uma centena de pinturas de Herculano Batista, sobre “Viagens e Estudos”, estão patentes ao público na Casa Municipal da Cultura até dia 11 de Fevereiro de 2017.

Trata-se de “uma síntese elucidativa do modo como o autor transpôs para a tela alguns dos contextos  que mais o impressionaram nas inúmeras viagens que fez pelo mundo e que integra também exercícios em que explora caminhos para uma estética de carácter abstratizante”.

A inauguração da exposição foi assinalada com um encontro do artista plástico com alguns amigos e apreciadores da sua obra artística, no qual participou o vereador da Cultura, Pedro Cardoso. Na ocasião, o autarca agradeceu a Herculano Batista “a disponibilidade em partilhar na Casa Municipal da Cultura o resultado do seu trabalho num registo artístico que evidencia uma abordagem singular no modo de representar lugares, como que deixando transparecer o efeito emocional desse exercício contemplativo”.

Segundo Pedro Cardoso, “esta exposição dá continuidade a uma orientação que tem sido seguida na programação da Casa Municipal da Cultura, no âmbito a política cultural do Município de Cantanhede no campo das artes, designadamente o reforço do seu papel enquanto espaço vocacionado para o para a divulgação de diferentes correntes estéticas e tendência artísticas e para exercício de funções educativas e culturais”.

Por seu lado, Herculano Batista agradeceu à Câmara Municipal “a oportunidade de mostrar o trabalho artístico desenvolvido ao longo de vários anos e elogiou o extraordinário profissionalismo demonstrado por toda a equipa da Casa da Cultura na montagem da exposição, sem esquecer o acolhimento caloroso em todo o processo”.

Herculano Batista nasceu em 1945 em Cavaleiros, freguesia de Barcouço, concelho da Mealhada. Depois dos estudos secundários em Coimbra ingressou na Faculdade de Economia de Lisboa, tendo concluído a licenciatura na Sorbonne, em Paris, cidade onde passou a viver em 1966. Aí casou e constituiu família até que, há alguns anos, passou a dividir o seu tempo entre a aldeia do Pisão, no concelho da Mealhada, e a região de Loire et Cher, no centro de França.

Desde cedo desenvolveu o gosto pelo desenho e pela pintura. Em Coimbra, durante o secundário, ilustrou o jornal associativo e outras publicações revistas de fins de ano, tendo depois integrado o Círculo de Artes Plásticas da Universidade. Atualmente está inscrito na Escola de Beaux Arts de Paris e faz parte do Ateliê de Arts Plastiques, também na capital francesa, tendo já realizado em França várias exposições individuais e colectivas.