Universidade de Aveiro vai vídeomonitorizar a Praia de Mira

No passado dia 9 de Março, a Câmara Municipal de Mira e a Universidade de Aveiro assinaram um protocolo de cooperação relativo a um projecto inovador da UA que passa pelo desenvolvimento de um sistema de vídeo monitorização, em tempo real, da erosão costeira e dos agueiros (correntes de retorno)  na Praia de Mira.

Coordenado pelo Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) da UA, o projecto-piloto de vídeo-monitorização da orla costeira permitirá reconhecer correntes perigosas, a taxa de ocupação do areal e prever a erosão das dunas.

O protocolo foi assinado no Salão Nobre da Câmara de Mira, por Raul Almeida, presidente da autarquia, e Manuel Assunção, Reitor da UA que, deste modo, unem esforços na missão de levar a ciência e o conhecimento para o quotidiano.

Baptizado com o nome de Sea Floor Topography Ranging Technique (SeaRangTech), o projecto, que vai estar em vigor pelo menos nos próximos três anos, “inclui um protótipo de vídeo monitorização costeira de relativo baixo custo, quando comparado com soluções comerciais, integralmente montado na UA”.

Os dados que o SeaRangTech se propõe recolher, assegura Paulo Baptista, docente da UA e responsável pelo projecto, “são relevantes para a previsão a curta escala temporal (três dias) de potenciais ataques ao cordão dunar frontal, sua erosão e galgamento e eventuais inundações de zonas internas em sequência a temporais e/ou marés vivas”. A escolha da Praia de Mira para receber o projeto-piloto deveu-se ao facto de o Bairro dos Pescadores ter um “grande potencial de risco”, uma vez que algumas zonas se situam abaixo do nível do mar.

Um dos resultados mais práticos do projecto será sentido já durante a próxima época balnear através da “despistagem” em tempo real dos agueiros, correntes de retorno que põem em causa a segurança dos banhistas. Diariamente, aponta o investigador, “será comunicado às autoridades, nomeadamente aos nadadores salvadores, a existência de agueiros na praia”. Uma informação que poderá ser consultado pelo público em geral através de uma aplicação para telemóveis que está a ser desenvolvida pela UA.

Segundo Raul Almeida, este sistema de vídeo motorização traz muitas mais-valias, incluindo “mais segurança para as gentes da Praia e para quem nos visita”.

Para além disso, frisou o autarca, “esta é uma forma positiva de se ligar o saber à sociedade civil, à parte prática e do dia-a-dia. Para a Câmara Municipal de Mira é muito importante esta ligação com estes centros de saber. Quem nos visita merece ter sempre mais qualidade, por isso temos que aproveitar estes conhecimentos e usá-los em nosso favor”.

Manuel Sousa, Reitor da UA, partilhou do mesmo sentimento, reforçando a importância “da valorização do conhecimento. É necessário mostrar que o que se faz nas Universidades também tem utilidade prática e social, como acontece neste caso”.

“Para a UA é um orgulho estar associada à praia com Bandeira Azul há mais anos consecutivos. O nosso papel é tornar a praia ainda mais apelativa e segura, providenciando melhores condições”, frisou o Reitor.