Três atletas da APCC vão representar Portugal nos jogos mundiais da paralisia cerebral

Sandra Semedo, na tricicleta, Maria Inês Rodrigues e Mariana Silva, ambas no slalom em cadeira de rodas, são as três atletas da Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra (APCC) que vão representar Portugal nos próximos Jogos Mundiais da Paralisia Cerebral, que decorrem em Sant Cugat, na Catalunha, entre os dias 7 e 13 de Agosto.

As primeiras a entrar em acção serão a Maria Inês e a Mariana, que, nos dias 8 e 9, participarão num campo de treino da sua modalidade, inserido num programa não competitivo para desportos em desenvolvimento, com atletas de quatro países a aproveitarem para melhorar as suas capacidades. Nos dois dias seguintes, decorrerá um conjunto de provas a envolver este mesmo conjunto de praticantes.

Já a Sandra correrá nos dias 9, 10 e 11, estando previsto que participe nas provas de quatro distâncias de RR2, a categoria em que já conquistou cinco medalhas (três das quais de ouro) em Taças e Campeonatos do Mundo de Tricicleta. Será, certamente, uma das atletas a ter mais em atenção, sendo já um nome estabelecido na modalidade a nível mundial.

Igualmente integrada na Seleção Nacional viajará Ana Nunes, treinadora da APCC e seleccionadora nacional de tricicleta, que, além de acompanhar as atletas da instituição, terá ainda a responsabilidade de coordenar a participação dos outros dois triciclistas portugueses convocados para esta competição.

Os Jogos Mundiais da Paralisia Cerebral são organizados pela CPISRA (Cerebral Palsy International Sports and Recreation Association) e incluirão este ano cinco desportos: atletismo (incluindo tricicleta), futebol de 7, natação adaptada, boccia e slalom em cadeira de rodas. Participarão cerca de 600 atletas, em representação de 24 países.

A prática desportiva tem comprovadas vantagens a nível motor, cognitivo e social, pelo que ocupa um importante lugar na atividade da APCC, pioneira a nível nacional no desporto para pessoas com deficiência. A tricicleta (em que os atletas correm com os pés num equipamento com três rodas) e o slalom (uma corrida de obstáculos, percorrida em cadeira de rodas) são apenas duas das modalidades desenvolvidas na instituição, entre as quais estão o boccia, a natação e o futebol em cadeira de rodas eléctrica, por exemplo.