Trabalhadores do centro Rovisco Pais passam a efectivos

Após a realização de dois dias de greve, no passado mês de Julho, um total de 81 trabalhadores com vínculos precários do Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro – Rovisco Pais, na Tocha, vão ser integrados como efectivos.

Em comunicado, o Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Centro (CGTP-IN) enaltece a vitória destes trabalhadores, após ter recebido a confirmação da administração que o processo de regularização foi desbloqueado e que os concursos vão abrir.

Segundo o sindicato, “após muitos anos a recibo verde”, são 81 trabalhadores com vínculos precários que vão ser integrados como efectivos no Rovisco Pais.

Os trabalhadores em causa realizaram greve nos dias 10 a 11 de Julho, para exigir o fim da precariedade e pelo facto do hospital público ser o único no País que não tinha dado seguimento à regularização das situações de precariedade, ao abrigo do Programa de Regularização Extraordinária dos Vínculos Precários na Administração Pública (PREVPAP).

No primeiro dia de greve, os trabalhadores realizaram ainda uma concentração, com o protesto a parar a circulação na EN109. O sindicato realça também que, dos quatro convites enviados aos partidos que aprovaram o PREVPAP na Assembleia da República, o PCP e do BE compareceram no protesto, Os Verdes enviaram uma saudação e o PS “nada disse”.