Técnicos da autarquia apoiam idosos durante períodos de calor extremo

Como resposta às ondas de calor intenso que têm vindo a assolar Portugal durante esta época do ano, o Município de Cantanhede tem vindo a desenvolver inúmeras acções de prevenção e sensibilização, particularmente junto da população idosa do concelho.

Neste âmbito, foram constituídas duas equipas, que promoveram nos dias de maior temperatura, visitas domiciliárias a residências da população mais vulnerável, previamente sinalizadas e que poderiam apresentar maiores dificuldades perante o calor extremo. Os grupos são compostos por técnicos do Serviço Municipal de Acção Social em articulação com o CLDS Cantanhede 3G – Intervir, Integrar e Incluir, apoiados pelos Bombeiros Voluntários de Cantanhede e pela Guarda Nacional Republicana.

Esta iniciativa decorreu pelas freguesias do concelho, onde se aproveitou para informar a população sobre medidas de protecção e cuidados a adoptar, com especial destaque para a permanência em ambientes frescos, evitar o consumo de álcool e beber muita água. Neste âmbito, as equipas disponibilizaram água aos habitantes mais idosos do concelho, relembrando o uso de sistemas de apoio em caso de emergência.

Realizou-se ainda uma reunião, no dia 2 de Agosto, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Cantanhede, promovida pela Unidade de saúde Pública do Agrupamento de Centros de saúde do Baixo Mondego, contando ainda com a presença de técnicas do município, IPSS’s que desenvolvem respostas sociais dirigidas à população sénior e com os Bombeiros Voluntários de Cantanhede, com o principal objectivo de alertar para os perigos e cuidados a ter durante as ondas de calor extremo, bem como para a necessidade conhecer as medidas a adoptar para reduzir os efeitos directos e indirectos do calor em grupos de risco, activando para isso as medidas constantes previstas no Plano Verão e Saúde da DGS.

De acordo com uma nota da CMC, “é preocupação desta autarquia a implementação de medidas preventivas, nomeadamente para os grupos mais vulneráveis aos efeitos de calor, tendo feito chegar a informação à população e visitando os idosos nos períodos críticos de calor extremo, através da actuação de uma equipa técnica de apoio psicossocial municipal”.