Teatro no Zambujal, Ançã, Sanguinheira e Febres

O 21.º Ciclo de Teatro Amador do Concelho de Cantanhede tem este fim-de-semana mais uma jornada, desta vez com espectáculos no Zambujal, Ançã, Sanguinheira e Febres. O programa de dinamização da actividade teatral promovido pelo Município de Cantanhede conta com a participação de 17 grupos cénicos, num total de mais de 350 pessoas envolvidas, e a sua programação estende-se ao longo de três meses com a representação de peças de teatro de géneros variados um pouco por todo o concelho.

Assim, no próximo sábado, pelas 21h30, o Grupo de Teatro “As Fontes do Zambujal” da Associação Juvenil do Zambujal e Fornos estreia, no salão da Associação Cultural e Recreativa do Zambujal, As Marias de Portugal, um drama de Pedro Bandeira e Luís Zamarra que propõe uma reflexão sobre o assédio. Maria do Sol via-se assediada por vários homens e as alcoviteiras da terra procuravam denegri-la com infâmias e difamações, mas nunca quebrou o seu voto de fidelidade ao marido. Trata-se de uma peça que enaltece a virtude das mulheres com base numa personagem que luta contra a adversidade para ver reconhecida a sua inocência.

Também no sábado, às 21h30, o GATT – Grupo Amador de Teatro da Tocha desloca-se à Sanguinheira para apresentar a peça Viúva, porém Honesta, adaptação de um texto original do escritor e dramaturgo brasileiro Nelson Rodrigues. Na peça, um director de jornal com grande influência no país tudo faz para demover a filha a deixar de velar o marido falecido e voltar a ter uma vida normal, uma vez que tem apenas quinze anos.

Como a jovem pretende voltar a casar, o pai resolve contratar um grupo de especialistas, todos eles charlatões, para a dissuadir da ideia. O casamento havia acontecido para justificar uma gravidez precoce e indesejada, que afinal tinha sido inventada pelo médico da família, um velho um pouco amalucado e confuso.

Ainda no sábado, igualmente às 21h30, é no palco do salão do Centro Paroquial de Ançã que o “Cordinha d’Água Teatro” – Secção do Rancho Folclórico “Os Lavradores” de Cordinhã estreia as duas peças com que participa no certame. A Revolta dos Penicos é uma comédia da autoria de Manuel Tomé que transporta o espetador para um cenário francês, em plena II Guerra Mundial. Uma professora, pertencente à Resistência Francesa, ensina os seus alunos a resistirem ao inimigo e a protegerem-se. Quando a professora desaparece pelas mãos dos militares nazis, os meninos elegem um líder e fazem frente ao invasor. Amores na Aldeia, também uma comédia, esta da autoria de Rosa Dinis, conduz o espetador numa revisitação a uma aldeia portuguesa, nos anos 60. Sucedem-se várias peripécias, amores e desamores, encontros e desencontros, casamentos arranjados, questões políticas, tudo com uma excelente dose de bom humor e o retrato histórico de um ambiente rural.

Já no domingo, 17 de Fevereiro, é a vez de as Pequenas Vozes de Febres se estrearem no ciclo de teatro amador. Às 15h30, o grupo de teatro desta formação coral sobe ao palco do Pavilhão Multiusos de Febres para interpretar Asas no Coração, um musical baseado no livro de memórias The Story of the Trapp Family Singers, da autoria de Maria von Trapp. Maria é uma jovem que está num convento para se tornar freira, mas não consegue seguir as rígidas normas religiosas a que está sujeita aceita trabalhar como governanta de sete crianças. O pai é um oficial da marinha, viúvo, que desde a morte de sua esposa educa as crianças com rigor militar. Depois de trazer música e amor para a vida das crianças, Maria casa-se com o capitão e, juntamente com as crianças, descobre uma maneira de enfrentar a dor da perda através da coragem e da fé.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *