Teatro em Covões, Cantanhede, Portunhos e Murtede

Este fim de semana, o Ciclo de Teatro Amador do Concelho de Cantanhede, contempla mais duas estreias, a primeira delas já amanhã, sexta-feira, 22, no auditório da Filarmónica de Covões, onde, a partir das 21h30, o Grupo de Teatro Musical da instituição apresenta “Brilhantina – O Musical”. Trata-se de uma adaptação de “Grease”, de Jim Jacobs e Warren Casey, que fez furor em 1978 com a versão cinematográfica protagonizada por John Travolta e Olivia Newton-John.

A acção decorre no verão de 1958, quando Danny Zuko e Sandy Dumbrowski se apaixonam na praia. Terminada a época balnear, Sandy, cuja família está a pensar regressar à sua Austrália natal, teme pela separação definitiva do seu amor. Porém, uma alteração dos planos familiares faz com que Sandy e Danny se reencontrem na mesma escola. A partir daí o espectáculo desenrola-se ao ritmo de uma banda sonora recheada de êxitos, mostrando o dia-a-dia dos adolescentes numa comunidade escolar dos Estados Unidos, nos anos 1950. Abordando os problemas próprios dos jovens, os seus amores e os desencontros, a sexualidade e a gravidez na adolescência, o alcoolismo e o tabagismo, entre outros, a peça faz prevalecer uma mensagem da amizade e companheirismo na juventude.

No sábado, às 21h30, o Ciclo de Teatro Amador do Concelho de Cantanhede tem nova estreia, desta vez d’O Cénico dos Esticadinhos de Cantanhede, que leva ao palco da sua sede uma adaptação de “O Sentido da Vida”, comédia de Emílio Boechat que procura respostas a algumas interrogações e inquietações de toda a gente sobre o sentido da vida. Uma peça espirituosa e divertida, pontuada de algum nonsense, em que a única certeza relativamente à vida é mesmo a morte…

Ainda no sábado, 23 de Março, às 21h30, a Bombarda – Companhia de Teatro, de Vila Nova de Outil, cumpre a sua participação itinerante com uma actuação de rua em Murtede, junto ao pavilhão da Associação Desportiva e Cultural de Murtede, bem ao jeito daquele que é o seu registo. A entidade anfitriã é o Grupo de Teatro Experimental “A Fonte” e a Bombarda – Companhia de Teatro vai apresentar uma dramatização de   Fernão Mendes Pinto, “A Crónica”, da autoria de Nuno Marques e Cláudio Monteiro, no que pretende ser uma revisitação de “A Peregrinação”, primeira grande narrativa de viagens escrita em português pelo aclamado cronista nascido em Montemor-o-Velho. As suas expedições pelo Japão e pela Índia, onde foi marinheiro, senhor, escravo, escritor e corsário, são contadas na primeira pessoa naquela que é considerada uma das mais valiosas obras literárias sobre a presença dos portugueses no oriente.

Também no sábado, à mesma hora, o Grupo de Teatro, Arte e Cultura da Pocariça leva ao palco do Centro Cultural de Portunhos “A Loucura é Lúcida”, peça num registo de irreverência que suscita várias questões que ultrapassam o mero divertimento, centrado num desequilíbrio de saúde mental que vai assolando a nossa sociedade, a esquizofrenia. Numa nota, os encenadores Miguel Matos e Paulo Silva referem: “Eu sou lúcido na minha loucura, permanente na minha inconstância, irrequieto na minha comodidade. Pinto a realidade com alguns sonhos, enxerto sonhos em cenas reais. Choro lágrimas de rir e quando choro para valer não derramo uma lágrima. Todos eles falam a minha inconsciência. O abismo é real.”