Teatro em Cantanhede, Cadima, Portunhos e Casal

A agenda cultural do concelho de Cantanhede propõe para o próximo fim-de-semana mais três espectáculos no âmbito do 21.º Ciclo de Teatro Amador, organizado pela Câmara Municipal  e que conta com a participação de 17 grupos cénicos.

No sábado, pelas 21h30, o Grupo de Teatro S. Pedro, inaugura a sua participação no certame deste ano com a representação de “O Pátio das Cantigas”. No palco do Centro Paroquial de S. Pedro, em Cantanhede vai estar em cena uma adaptação de Dulce Sancho e Sónia Silva do filme de António Lopes Ribeiro que ajudou a celebrizar actores como Vasco Santana, António Silva e Ribeirinho, entre outros. A acção desenrola-se por altura dos Santos Populares num tradicional pátio de Lisboa, onde confluem as rotinas, os encontros e os conflitos de uma comunidade de gente simples e trabalhadora.

Sábado é também dia de estreia para o Grupo de Teatro Amador da União Recreativa de Cadima, que apresenta no palco do salão da Junta de Freguesia, às 21h30, duas comédias de Anton Tchekhov: “O Urso” é uma trama amorosa que envolve uma viúva e o seu criado, a partir da qual se expõem os valores de uma sociedade de moral rígida e repressiva num registo de comédia de costumes. “Um Pedido de Casamento” é uma farsa em que o poder, estatuto social, dinheiro e vaidade geram uma série de mal-entendidos quando Ivan decide pedir a mão de Natalia, sua vizinha, filha do Coronel Tchubukov.

Ainda no sábado, igualmente às 21h30, o Grupo de Teatro “As Fontes do Zambujal” da Associação Juvenil do Zambujal e Fornos representa no Centro Cultural de Portunhos, tendo por anfitrião Bombarda – Companhia de Teatro, “As Marias de Portugal”, um drama de Pedro Bandeira e Luís Zamarra que propõe uma reflexão sobre o assédio. Maria do Sol via-se assediada por vários homens e as alcoviteiras da terra procuravam denegri-la com infâmias e difamações, mas nunca quebrou o seu voto de fidelidade ao marido. Trata-se de uma peça que enaltece a virtude das mulheres com base numa personagem que luta contra a adversidade para ver reconhecida a sua inocência.

No domingo, dia 24 de Fevereiro, às 16h00, é a vez de o Novo Rumo – Teatro de Amadores de Ançã cumprir a sua jornada de itinerância no salão da ACDC – Associação Cultural e Desportiva do Casal, na freguesia de Cadima, onde apresentará “O Santo e a Porca”, uma divertida comédia de Ariano Suassuna. O enredo desenrola-se em torno da personagem de um velho avarento, devoto de Santo António, que guarda as economias de toda a vida numa porca-mealheiro. Ao receber uma carta de um tal Eduardo Vicente, a dizer que este iria privá-lo de seu mais precioso tesouro, Óscarzão, o avarento, fica muito apreensivo com a possibilidade de perder o dinheiro da sua querida porca. A arguta Felisberta, empregada da casa, percebe que o tesouro em causa é Margarida, a filha de Óscar, com quem o autor da carta pretende casar-se. Segue-se um conjunto de peripécias e equívocos bem hilariantes em que a avareza de um e as falsas intenções de outro remetem para a relação do ser humano com o mundo físico representado pela porca e o espiritual representado por Santo António.