Teatrão apresentou espectáculo “Terra Torga”

Cerca de 60 pessoas assistiram ao espectáculo teatral Terra Torga, no passado dia 10 de Março, no auditório da Biblioteca Municipal de Cantanhede.

A peça foi idealizada e representada pelo grupo Teatrão – Oficina Municipal de Teatro, de Coimbra, onde é abordada a obra de Miguel Torga, escritor bastante importante na literatura nacional e autor de leitura obrigatória na disciplina de Português, no 7º ano.

O Teatrão define a peça Terra Torga como “uma viagem. Uma viagem que fazemos guiados por Torga, escritor ímpar no panorama da nossa literatura e pelas suas palavras aos nossos locais de eleição, às nossas memórias de infância e aos nossos sonhos”.

O grupo de teatro continua, afirmando “neste caminho partilhado evocamos paisagens e tradições do nosso país ao mesmo tempo que contamos algumas das histórias do universo deste autor, de uma forma não narrativa e em que o corpo e o corpo em movimento se apresentam como protagonistas e construtores de vários pequenos momentos, em que não há uma linha única de interpretação, mas antes a total liberdade de quem vê para construir as suas próprias histórias e deixar – se envolver neste ambiente quase sonhado”.

A companhia conclui “este espetáculo encontra – se assim num lugar de fragilidade, onde procuraremos o nosso Reino Maravilhoso, aquele sitio, que sendo obrigatoriamente diferente para cada um, é o sítio da respiração livre e dos dias felizes”.

Após a apresentação de Terra Torga foi realizada uma oficina, onde os mais novos puderam trocar opiniões com os actores sobre suas experiências de vida e efetuaram jogos didáticos.

A iniciativa está inserida no Festival de Artes Performativas, que se encontra a decorrer na região de Coimbra e resulta de uma parceria entre diversos municípios, com especial destaque para Cantanhede, Coimbra, Condeixa, Figueira da Foz, Mira, Soure e Tábua.

Esta é a primeira edição deste Festival que apresenta diversos espectáculos, em que actores têm como ponto de partida a importância dos livros, na essência das palavras escritas por autores portugueses, para as representar de múltiplas formas de expressão cultural, com especial destaque para a dança e o teatro.

Os actores Aldara Bizarro, Ainhoa Vidal, Marina Nabais, Leonor Barata e o Teatrão irão continuar a divulgar as suas criações pelos teatros e bibliotecas da região.

Sobre o Teatrão

O Teatrão é uma companhia profissional de teatro fundada em 1994, e que desde 2010 apresenta o estatuto de instituição de utilidade pública. A partir da sua fundação os seus projetos são desenvolvidos na cidade de Coimbra, mantendo até 2001 uma atividade regular e quase exclusiva na área do teatro para a Infância, data a partir da qual decidiu alargar a sua ação a um público mais heterogéneo – o adolescente e adulto – com quem tem estabelecido um diálogo contínuo, muito próximo.

O Teatrão tem apresentado peças de autores clássicos e modernos, escolhidos de acordo com os temas das temporadas, e produzido textos inéditos, em especial para a infância e juventude. A atividade da companhia tem hoje três facetas – a criação de espetáculos de teatro próprios, a apresentação de espetáculos de música, dança e teatro produzidos por outros, e a formação nas áreas do teatro e da expressão dramática -, centrando-se sempre no levantamento de questões que encontramos urgentes: a construção de referências, o diálogo com o imaginário, a fronteira entre realidade e ficção e a potência criativa do conflito tradição/inovação, são exemplos de temas que, articulados entre si, nos conduzem a propor uma discussão maior, a do mundo em que vivemos hoje.