“Sons do Bussaco” arranca com concerto do norte-americano Terry Lee Hale

A Fundação Mata do Buçaco (FMB) apresentou, esta quinta-feira, 12 de Janeiro, a temporada de 2017 do ciclo de concertos “Sons do Bussaco – Músicas do Mundo”, que irá começar, no dia 28 de Janeiro, pelas 21h30, no Convento de Santa Cruz, na Mata Nacional do Buçaco (Luso, Mealhada), com o espectáculo do cantor e guitarrista norte-americano Terry Lee Hale.

“Sons do Bussaco” prosseguirá no dia 25 de Fevereiro (sábado de carnaval), à mesma hora, com o concerto do grupo Forró Mior, composto por músicos oriundos do Brasil, Argentina e Itália. No dia 4 de Março, também às 21h30, será a vez do artista português “O Gajo” subir ao palco do Convento de Santa Cruz. Tiago Saga, líder do projecto luso-britânico Time For T, dará um espectáculo no dia 8 de Abril. Esta primeira parte da temporada “Sons do Bussaco 2017” encerra, no dia 20 de Maio, com o projecto “On The Road”, composto por Tó Trips e Tiago Gomes.

Tal como aconteceu na temporada de estreia deste ciclo de concertos, decorrida entre Junho e Novembro de 2016 e que contou com nomes como Kimi Djabaté (Guiné-Bissau), Grutera (Portugal), Filipe Antunes (Brasil), A Jigsaw (Portugal) e Tom Brosseau (USA), também a segunda temporada resulta de uma parceria, na produção dos espectáculos, entre a FMB e a MAAC – Motivos Alternativos Associação Cultural, e o apoio da Mutante – Art, Culture & Lifestyle Magazine. Este ano, juntamse os mecenas Unimadeiras e Vinhos Borges (grupo JMV).

Na opinião do presidente da FMB, António Gravato, os “Sons do Bussaco” representam “a oportunidade soberana de conciliar boa música, de culturas completamente distintas e expressão de uma universalidade artística rara e imperdível, com a beleza histórica de um espaço fabuloso – o convento de Santa Cruz – que é palco destes concertos que promovemos e que só são possíveis graças aos inestimáveis apoios do produtor Pedro Seixas (líder da MAAC), da Unimadeiras, do grupo JMV/Vinhos Borges, da Mutante, da Associação Escolíadas, da Câmara Municipal da Mealhada, dos colaboradores da FMB, das unidades hoteleiras e similares da região e, ‘last but not least’, do público, razão primeira do nosso trabalho”.

Já a administradora do Grupo JMV, Rosa Maria Vieira, entende que estar associado ao ciclo “Sons do Bussaco – Músicas do Mundo”, “para além de representar uma honra para a Sociedade dos Vinhos Borges, significa um importante apoio à manutenção de uma das mais bonitas matas de Portugal”.

Por seu turno, Jorge Loureiro, presidente executivo da Unimadeiras, que tem como lema “a floresta é a nossa vida”, lembra que a empresa que lidera tem uma forte consciência ambiental e, por isso, procura estar atenta às necessidades de entidades e organismos que promovam a preservação da floresta. “Sendo a Mata Nacional do Buçaco uma referência de conservação e valorização ecológica e sendo ainda candidata à classificação como Património Mundial da UNESCO, torna-se Fundação Mata do Buçaco.natural o apoio da Unimadeiras às iniciativas culturais nela integradas, como o ciclo de concertos ‘Sons do Bussaco – Músicas do Mundo’”, explica Jorge Loureiro, deixando um desafio: “escute e sinta o ‘Mundo” no Buçaco.