Sistema de Incentivos 2E passa a incluir o concelho de Cantanhede

​A entidade de gestão do Programa Operacional Centro 2020 acaba de anunciar a alteração ao Sistema de Incentivos 2E – Atrair Novo Investimento Empresarial e Emprego para os Territórios Afetados pelos Incêndios (SI2E), que, ao contrário da versão anterior, inclui agora o concelho de Cantanhede na área geográfica de aplicação dos apoios previstos nesse âmbito.

A alteração surge na sequência das diligências efectuadas nesse sentido pela presidente da Câmara Municipal, Helena Teodósio, junto do Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, a quem manifestou uma posição que mereceu o apoio da AEC – Associação Empresarial de Cantanhede e da Comunidade Intermunicipal Região de Coimbra.

Na carta envida àquele membro do Governo, a autarca considerava ser “incompreensível que na definição da área geográfica de aplicação dos apoios previstos no SI2E tivessem sido negligenciados os prejuízos sofridos por agentes económicos do concelho”, lembrando a propósito que, “em 2017, arderam no território concelhio 7.500 ha, 6.000 ha dos quais no grande incêndio de 15 e 16 de outubro, nomeadamente nas freguesias da Tocha, S. Caetano e Vilamar e Corticeiro de Cima”.

Sobre a alteração do aviso que veio a incluir agora o Município de Cantanhede na área geográfica de aplicação dos apoios previstos no âmbito do Sistema de Incentivos 2E – Atrair Novo Investimento Empresarial e Emprego para os Territórios Afetados pelos Incêndios (SI2E), a presidente da autarquia considera-se “satisfeita, pois foi reposta a justiça, pondo cobro a uma situação de discricionariedade negativa infundada e inaceitável relativamente aos agentes económicos deste concelho que foram afetados pelos incêndios do último ano”. E sublinha: “a Câmara Municipal fez o seu papel na defesa dos interesses daqueles que representa e o importante agora é que sejam desencadeados os mecanismos para que quem sofreu prejuízos possa aproveitar os benefícios desta oportunidade”.