Romance “Areia” apresentado na Biblioteca Municipal de Cantanhede

Mais de três dezenas de pessoas assistiram à apresentação editorial de “Areia”, de Maria Alice Sarabando e Gisela Simões, que decorreu a 3 de Dezembro, no auditório da Biblioteca Municipal de Cantanhede.

A apresentação do livro contou com a presença, para além das autoras, de Pedro Cardoso, vereador responsável pelo pelouro da Cultura da autarquia cantanhedense; Pedro Bandeira, representante da editora Palimage e responsável pela edição do livro, e João Carlos Cruz, escritor que, sob o pseudónimo de António Canteiro, foi distinguido com vários prémios literários e fez a apresentação da obra.

Na sessão, António Canteiro referiu que “a Gândara precisava disto: do aparecimento de um livro com os seus ventos, as suas marés, a semeadura do pinheiro bravo, os seus utensílios (as apeaças, a sartela), a sua vida social (amode), económica (mil réis), a sua linguagem (amochar, apoisar, ugadinhos, fanicada, surribar, surraipa)”. O escritor continuou, “a região necessitava de um livro novo, construído como casa, por uma jovem (ai!, o quanto faz falta sangue novo à literatura) e por uma pessoa mais adulta (a vivência de muitos anos, a maturidade, o calculismo, a sabedoria) ambas, juntas, a condimentar esta literatura”.

“Depois de Carlos de Oliveira, Idalécio Cação, Silvério Manata, Fátima Bica, eis que surgem de uma assentada, duas mulheres neste universo de escrita. Sim!, a Gândara é um Universo, tal como o Sertão de Guimarães Rosa, ou o Alentejo de Manuel da Fonseca. Nesta linha, Carol Oates diz que, na escrita, a voz individual é a voz comum, a voz regional é a voz universal”, frisou.

Este aspecto seria reforçado pelo vereador Pedro Cardoso, que sublinhou “a originalidade da escrita a quatro mãos e a interessante relação intergeracional entre as autoras de ‘Areia’, já que uma foi professora da outra”.

Sobre Maria Alice Sarabando

Maria Alice Sarabando nasceu em 1952, em Lombomeão, concelho de Vagos. Licenciou-se em Filosofia na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

Foi professora de Filosofia durante muito pouco tempo, e de Estudos Sociais/História de Portugal e Português, no 2º Ciclo do Ensino Básico. É autora de pequenos livros nos géneros: conto infantil, poesia, conto.

Em parceria com Gisela Simões (sob o nome Lília Gisela Cipriano), escreveu três romances juvenis, dois dos quais estão publicados.

Sobre Gisela Simões

Lília Gisela Simões Cipriano nasceu em 1995, em Aveiro. Estuda, atualmente, Medicina, na Faculdade de Medicina da Faculdade do Porto. Aos doze anos inicia um projecto de coautoria com Maria Alice Sarabando, do qual viria a resultar a publicação de dois romances infantojuvenis “Eu só vejo cores” (2010) e “Ângulo giro” (2012). Em 2008, vence o concurso literário “Histórias do Mar e da Ria”.