Regimento de Engenharia N.º3 vai valorizar linhas de água do Município de Cantanhede

O Regimento de Engenharia N.º3, sediado em Espinho, vai realizar no Município de Cantanhede operações de valorização de um vasto conjunto de cursos naturais de drenagem hídrica, utilizando para o efeito os meios técnicos e humanos de que dispõe. Os termos das intervenções a executar estão definidos num protocolo de cooperação celebrado pela vice-presidente da autarquia cantanhedense, Helena Teodósio, e pelo Comandante do Regimento de Engenharia N.º 3, Coronel de Engenharia Fausto Manuel Vale do Couto.

O texto do acordo refere que o objectivo é promover “a melhoria das condições de vida e bem-estar das populações do município de Cantanhede, através da execução de trabalhos de limpeza, alargamento e regularização do leito de nove linhas e cursos de água, num total aproximado de 45 km”.

Nesse sentido, aquele regimento do Exército Português irá constituir um destacamento de engenharia formado por pessoal e pelos equipamentos considerados necessários às operações previstas, devendo o encadeamento destas e a definição de prioridades ser articulada com os serviços técnicos camarários.

As obrigações do Município de Cantanhede passam por providenciar as condições adequadas à boa execução técnica dos trabalhos, de acordo com o planeamento elaborado, nomeadamente a libertação, em tempo oportuno, das áreas que vão ser sujeitas a intervenção e o fornecimento de projectos ou outros elementos técnico, entre outros aspectos.

Sobre o acordo celebrado com o Regimento de Engenharia N.º 3, a vice-presidente da Câmara Municipal refere que “esta cooperação dá sequência a experiências idênticas realizadas há alguns anos e que se revelaram uma boa fórmula para intervenções a um custo substancialmente inferior ao que seria necessário pagar com recurso a outros meios”.

Helena Teodósio sublinha ainda “a importância das operações de qualificação das linhas de água e suas envolventes físicas, do ponto de vista da salvaguarda dos ecossistemas associados e da valorização do território”.