Rebentamento de granada no Zodíaco foi há 28 anos

No próximo dia 12 de Fevereiro faz 28 anos que aconteceu um dos episódios mais dramáticos do concelho: uma explosão no salão de festas Zodíaco, em Febres, da qual resultaram dois mortos.

Os anos já passaram mas são muitos aqueles que ainda hoje se recordam do fatídico dia, que de celebração passou a pesadelo.

Na altura Febres era um dos sítios mais concorridos no que diz respeito à vida nocturna da região e no Zodíaco era habitual acontecerem bailes que se prolongavam noite dentro. O de Carnaval era um dos mais concorridos e nesse dia o Zodíaco tinha no seu interior mais de 250 pessoas, oriundas de vários locais da região.

No entanto, algo correu muito mal e um homem disfarçado de militar, com a inscrição Saddam Hussein – Jaime Rodrigues Pinto, de 45 anos – acabou por rebentar uma granada que provocou a sua morte e a de um outro jovem – Moisés Catarino dos Santos, de Febres. O rebentamento da granada provocou ainda mais de 50 feridos, vários deles muito graves e com casos de amputação de membros.

Uma das pessoas que melhor se recorda deste episódio é Américo Faustino, cunhado da dona da discoteca e que nesse dia estava de serviço como porteiro. “Na altura, a única coisa que me chamou mais a atenção é que o rapaz tinha uma pistola e pedi para ver, mas reparei que era de plástico, de brincadeira, e por isso entrou como qualquer cliente”. A granada, veio a saber depois, através de quem assistiu ao momento, “estaria presa ao pescoço por dentro da roupa e foi numa brincadeira a fazer flexões, pouco tempo depois de ter entrando, que a mesma foi accionada, rebentando. Ouvi um estrondo enorme e depois foi o pânico, com toda a gente a tentar sair ao mesmo tempo”. Recentemente a RTP divulgou um vídeo do seu arquivo com a reportagem, emitida na altura, e que dava conta desta explosão. Nas redes sociais multiplicaram-se as partilhas da publicação e os comentários de quem, mesmo quase três décadas depois, não esquece este que foi um dos mais trágicos episódios que a pacata vila de Febres viveu.