Prepare-se para o calor

Com os termómetros a passarem os 30 graus por quase todo o País, a Direção-Geral de Saúde fez uma lista dos cuidados a ter para prevenir os efeitos negativos do calor na saúde. Assim, a primeira regra começa por manter-se hidratado – beber água mesmo quando não se tem sede –, preferir os sumos de fruta natural sem açúcar e evitar bebidas alcoólicas. As refeições devem ser preferencialmente frias e leves. Outro conselho importante é evitar o mais possível a exposição ao sol, sobretudo nos períodos de mais calor, bem como manter as casas frescas, com as janelas fechadas. As roupas devem ser leves e claras.

A DGS elenca ainda uma série de recomendações específicas para os grupos mais vulneráveis: crianças, idosos e doentes crónicos.

CRIANÇAS
– Vestir a criança com roupas leves, soltas e de cor clara. Não esquecer o chapéu quando estiverem ao ar livre
– Dar água com mais frequência e certificar-se de que bebe mais água do que o habitual
– Evitar a exposição directa ao sol, especialmente entre as 11 e as 17 horas
– Aplicar protetor solar antes de sair de casa
– Nunca deixar a criança dentro de um carro estacionado ou outro local exposto ao sol, mesmo que por pouco tempo
– Consultar o médico se a criança tiver diarreia ou febre e, neste caso, ter especial cuidado com a hidratação
– Procurar assistência médica imediatamente sempre que identifique sinais de alerta como suores intensos, fraqueza, pele fria, pegajosa e pálida, pulsação acelerada ou fraca, vómitos ou náuseas, desmaio

PESSOAS COM 65 ANOS OU MAIS
O calor é especialmente perigoso para as pessoas idosas, que pode ter menos perceção nas alterações associadas ao calor. É frequente não sentir sede o que leva a uma menor ingestão de líquidos, alerta a DGS. Por outro lado, o organismo pode não ter a mesma capacidade para realizar a termorregulação necessária para prevenir os efeitos negativos do calor intenso na saúde.
Como se proteger:
– Beber água, mesmo quando não tem sede
– Permanecer em ambientes frescos ou com ar condicionado
– Sempre que necessário procurar locais climatizados
– Evitar a exposição direta ao sol
– Usar roupas leves, soltas e de cor clara e a utilização de chapéu e protetor solar
– No período de maior calor tomar um duche de água tépida
– Fazer refeições mais leves e comer mais vezes ao dia
– Evitar a utilização do forno ou de outros aparelhos que aqueçam a casa
– Ter contacto direto de alguém atento e disponível (familiar, amigo, vizinho)
– Consultar o médico em caso de doença crónica ou se estiver a fazer uma dieta com pouco sal ou com restrição de líquidos

DOENTES CRÓNICOS
Os portadores de doença crónica são mais vulneráveis aos efeitos do calor. É o caso das pessoas com diabetes, doença cardíaca, vascular, respiratória, renal, mental e ainda das que tomam medicamentos que diminuem a sensação de calor ou provocam retenção de água ou de sal (anti-hipertensores, antidepressivos, antipsicóticos e medicamentos para a doença de Parkinson, entre outros).

Principais cuidados, salvo indicação médica:
– Beber água, mesmo não sentindo sede
– Permanecer em ambientes frescos ou com ar condicionado
– Evitar a exposição direta ao sol
– Usar roupas leves, soltas e de cor clara e utilizar chapéu e protetor solar
– Usar menos roupa na cama, em especial pessoas com fraca mobilidade ou acamadas
– No período de maior calor, tomar um duche de água tépida
– Evitar a utilização do forno ou outros aparelhos que aqueçam a casa
– Ter alguém atento e disponível (familiar, amigo, vizinho)
– Se tiver algum sinal ou sintoma associados ao calor, procurar cuidados médicos de imediato
– Evitar a exposição dos Medicamentos a temperaturas elevadas