Praia de Mira homenageia Américo Tarralheiro

No sábado passado, dia 8 de Outubro, os elementos da Junta de Freguesia da Praia de Mira e a família de Américo Tarralheiro organizaram uma homenagem ao “Ameriquito”. A iniciativa teve o intuito de prestar homenagem a este homem mas também a toda a comunidade da Praia de Mira e a todos os pescadores que perderam a vida no mar.

Na ocasião, o Presidente da Junta de Freguesia da Praia de Mira, Francisco Reigota, explicou o sentido da cerimónia, relembrando ainda outras homenagens realizadas no passado e o desejo de uma outra futura, dedicada “a todos os que um dia partiram”.

“Esta é uma homenagem ao Ameriquito, no entanto é também uma homenagem à Praia de Mira, a todos os pescadores e profissionais que trabalham no mar, e, especialmente, a todos aqueles que um dia lá perderam a vida e às suas famílias. Infelizmente, situações similares já aconteceram – preferíamos que elas nunca tivessem acontecido – contudo devemos ter memória e homenagens desta natureza são a prova do nosso respeito”, referiu o autarca.

A cerimónia teve lugar no Centro Cultural da Praia de Mira e contou com a presença de Francisco Reigota, de Alcino Clemente, de vários membros da Marcha Vila Maria, de Manuel Gabriel (Manelito), do Grupo Folclórico do Poço da Cruz, do Grupo Coral da Igreja da Praia de Mira, de Francisco Cardoso e de Nélson Maltez, vereador da Câmara Municipal de Mira. Após o encerramento da cerimónia, foram muitos os que se dirigiram ao cemitério da Praia de Mira, onde foi colocada uma coroa de flores na sepultura.

“Esta tarde vai ficar na memória de todos os que nela participaram, pois viveram-se momentos genuínos, verdadeiros e com grande significado e sentimento. Como escreve o poeta Raúl Brandão: “a vida aqui não é uma mentira. E todos os dias a arriscam sob a abóbada do céu, com deus e o mar”, salientou Francisco Reigota.

Recorde-se que Américo Tarralheiro foi uma das cinco vítimas mortais do trágico acidente, que aconteceu há um ano, à entrada da barra do porto da Figueira da Foz, com a embarcação “Olívia Ribau”.