Praia da Tocha distinguida pelo 28.º ano consecutivo com a Bandeira Azul

Foi hasteada, no passado dia 14 de Junho, pelo 28.º ano consecutivo, a Bandeira Azul na Praia da Tocha, que vê assim reconhecida, mais uma vez, a sua excelência balnear.

A Praia da Tocha acaba também de ser distinguida pela Quercus com a classificação de “Qualidade de Ouro”. Esta é a oitava vez ininterrupta que a Praia da Tocha integra a lista que a Associação Nacional de Conservação da Natureza elaborou no âmbito de um processo em que foram destacadas as praias com água considerada excelente nas últimas épocas balneares.

A qualidade da água é de resto uma das razões que está na base da atribuição da Bandeira Azul, pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), secção Portuguesa da Foundation for Environmental Education (FEE), a par de outras exigências imperativas no que diz respeito à “segurança e serviços”, “gestão ambiental e dos equipamentos”, bem com à “informação e educação ambiental”.

Assim, o reconhecimento da qualidade balnear da praia da Tocha assenta no integral cumprimento dessas exigências, como comprovam o elevado nível qualitativo da água do mar, a irrepreensível limpeza dos areais, as boas condições de acesso, o alto padrão dos serviços prestados aos utentes, bem como a existência de equipamentos socioculturais, com destaque para a Biblioteca de Praia, e a oferta de um diversificado programa cultural que inclui um variado leque de actividades de animação e ocupação dos tempos livres.

Antes de hastear a Bandeira Azul, e a propósito deste tema, a presidente da autarquia, Helena Teodósio, destacou a importância da “INOVA, sempre com um papel de destaque, principalmente em termos de limpeza e cuidado do ambiente”. A autarca realçou também a criação do Centro de Interpretação de Arte Xávega, que tem como objectivo conciliar “a tradição, a arte xávega, aqui na Praia da Tocha, e ao mesmo tempo, proporcionar outro tipo de iniciativas ligadas à cultura, ao social, ao associativismo, sempre com o objectivo de fomentar a atractividade”.

Ainda na vertente cultural a edil camarária enalteceu a Biblioteca de Praia, pois permite que os “veraneantes da Praia da Tocha para que possam ter, de forma sossegada, a sua solução de leitura, seja de jornais, de revistas, de livros, congregando a parte balnear ao aspecto cultural”.

Já Fernando Pais Alves, presidente da Junta de Freguesia da Tocha, afirmou que  “é com grande gosto e orgulho que recebemos mais este importante galardão”, relembrando ainda que “se calhar passou despercebido a muita gente, mas Cantanhede foi considerado, em termos ambientais, o melhor concelho do país. É importante enaltecer e dar os parabéns à Câmara Municipal e à INOVA”.

Por outro lado, é de destacar ainda o excelente ambiente urbano e paisagístico e o vasto conjunto de infraestruturas desportivas e de lazer, como parques infantis, campos de jogos em relva sintética para diversos desportos, e as áreas públicas e zonas verdes particularmente atractivas.

Também à semelhança do que tem acontecido nas últimas épocas de verão, foi também hasteada a Bandeira Praia Acessível, no âmbito do Programa Praia Acessível – Praia para Todos!, galardão atribuído pelo Instituto Nacional para a Reabilitação (INR), em parceria com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), a qual simboliza o facto da Praia da Tocha disponibilizar equipamentos, acessos e condições de segurança para pessoas com mobilidade reduzida.

Finalmente, uma inovação para este ano, o Município de Cantanhede é um dos primeiros municípios do país e pioneiro no distrito de Coimbra a acolher a Bandeira ColorADD. A Bandeira ColorADD surge no âmbito de uma parceria estabelecida entre o Município de Cantanhede, Águas do Centro Litoral (AdCL) e projeto ColorADD nas praias, que tem como principal objectivo a aplicação de um sistema que permite a inclusão de todos os banhistas que não identificam correctamente as cores (os daltónicos).

Projeto ColorADD nas praias
Estima-se que 10% da população mundial masculina e 0,5% da população feminina sofra de daltonismo, pelo que o código ColorADD pode constituir um ponto de viragem na vida de todos os indivíduos que padecem deste constrangimento visual.

Este código, criado pelo designer português Miguel Neiva, é baseado nas três cores primárias, representadas através de símbolos gráficos. Mediante o conceito de adição de cores, torna-se bastante fácil relacionar os símbolos respectivos e, desta forma, identificar toda a paleta de cores. O branco e o preto surgem apenas para orientar as cores para as tonalidades claras e escuras.

O código de cores, que distingue até cores metalizadas e descreve tons escuros e tons claros é visto como “transformador da sociedade”, mas o autor, Miguel Neiva sublinha o seu “especial impacto nas gerações futuras”. Um dos exemplos que dá é da sua utilização nos exames nacionais do ensino secundário. Desde 2013, o enunciado dos exames inclui o código de identificação “ColorADD” para que os alunos possam ter as mesmas condições de interpretação de quem não tem problemas de visão e que termina com a necessidade de pedidos especiais para os alunos daltónicos.

Assim a Águas do Centro Litoral estabeleceu, recentemente, um protocolo de parceria com o projecto ColorADD, cujo objetivo é implementar o código ColorADD nas zonas balneares dos municípios da área de intervenção da AdCL. Esta parceria visa melhorar as condições de acessibilidade e segurança no espaço balnear, especificamente para a população daltónica – 350 milhões de pessoas em todo Mundo.