Portugal volta a mostrar o Fascínio pelas plantas

No dia 18 de maio será celebrado o 4.º Dia Internacional do Fascínio pelas Plantas, que envolve 65 países a preparar mais de 500 eventos de entrada livre inspirados nas plantas. Portugal tem sido um dos países com mais entidades e eventos a serem organizados nesta comemoração, e este ano há muito por onde escolher. Vai-se falar de plantas medicinais em Lisboa, na Maia e no Porto, vão ser feitas visitas guiadas em jardins botânicos, hortas comunitárias ou em saídas de campo em Almada, Gaia, Lisboa, Moura, Oeiras e Sintra, vai haver distribuição gratuita de plantas envasadas em Bragança, conversa sobre melhoramento de plantas em Lisboa, para além de exposições e debates em Cantanhede, Castelo Branco, Évora, Lisboa e Porto. As celebrações encerram no dia 27 de Maio, com o Dia Aberto do ITQB NOVA, em Oeiras.

Em Portugal o evento está a ser coordenado pelo ITQB NOVA e a Sociedade Portuguesa de Fisiologia Vegetal. Já se juntaram a esta iniciativa 25 instituições portuguesas com uma enorme variedade de actividades propostas, disponíveis na webpage oficial http://plantday12.eu/portugal.htm  e no facebook http://pt-br.facebook.com/aquihaplanta.

O Dia do Fascínio pelas Plantas foi lançado pela European Plant Science Organisation (www.epsoweb.org), com o objectivo de lembrar como a investigação em plantas é importante para a paisagem social, ambiental, e económica do planeta – agora e no futuro. Mas nesse dia não se falará apenas de ciência, serão abrangidos todos os tópicos relacionados com as plantas: investigação fundamental, agricultura, horticultura & jardinagem, floresta, melhoramento vegetal, proteção das plantas, alimentação & nutrição, conservação ambiental, redução dos efeitos das alterações climáticas, bioproductos inteligentes, biodiversidade, sustentabilidade, recursos renováveis, e educação & arte na investigação em plantas.

Coordenadores do Dia Internacional do Fascínio das Plantas em Portugal:

Nelson Saibo (saibo@itqb.unl.pt) e Joana Lobo Antunes (joanala@itqb.unl.pt)

© 2017 – Ciência na Imprensa Regional / Ciência Viva