Orçamento de Mira em 2019 cresce para 13,8 milhões

A Câmara de Mira aprovou , por maioria, o Orçamento e Grandes Opções do Plano para 2019, no valor de 13,8 milhões de euros, verba superior em 1,1 milhões ao último exercício.

“É um orçamento de crescimento, não só pelo aumento do conjunto de projectos de investimentos já aprovados no âmbito do quadro comunitário de apoio Portugal 2020, mas também devido à necessidade de repor infraestruturas destruídas pelos incêndios e pela tempestade Leslie”, resume o líder do executivo deste município do distrito de Coimbra, Raul Almeida.

O Orçamento e Grandes Opções do Plano para o exercício económico de 2019 recebeu os votos favoráveis dos vereadores do Partido Social Democrata e a abstenção do vereador do Partido Socialista.

“A aposta estratégica do executivo municipal continua a passar por aproveitar todas oportunidades disponibilizadas pelo actual quadro comunitário de apoio para efectuar um conjunto de investimentos indispensáveis para melhorar as condições de vida e trabalho dos cidadãos de Mira”, garante Raul Almeida.

No orçamento de 2019 regista-se um aumento em 23% das verbas alocadas ao Plano Plurianual de Investimentos do Município. Mira tem nesta altura um “portfólio de projectos de investimento” aprovados, em execução ou submetidos a aprovação no âmbito do Portugal 2020, que supera os 7,5 milhões de euros.

No plano de investimentos para 2019 destaca-se a ampliação da Zona Industrial – Polo I e a Ciclovia Rota da Costa Atlântica (Eurovelo 1). Destaque ainda para a anunciada reconversão do Museu Etnográfico e Posto de Turismo, a Reabilitação e Reconversão de uma Estrutura Abandonada (antigo mercado de Mira) para criação de um novo centro fórum económico e cultural, a requalificação dos viveiros piscícolas na Praia de Mira e os “necessários investimentos de reposição” de todas as infraestruturas e equipamentos públicos afectados pelos incêndios de Outubro de 2017.

Mira vai continuar a não aplicar qualquer derrama sobre o lucro das empresas do concelho, uma estratégia de apoio aos empresários e de incentivar a captação de novos investimentos para o concelho. O município vai ainda manter as taxas de IMI “no limiar mínimo admissível por lei”, valor a que acrescerá uma bonificação que a autarquia atribui às famílias com maior número de dependentes a cargo e que pode atingir os 70 euros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *