O Sequeira já está no lugar certo

O Museu Nacional de Arte Antiga anunciou esta quarta-feira, 27 de Abril, que atingiu os 600 mil euros necessários para comprar o quadro Adoração dos Magos, de Domingos Sequeira, actualmente nas mãos de privados, três dias antes do previsto.

A campanha “Vamos Pôr o Sequeira no Lugar Certo”, que decorria até dia 30, conseguiu hoje uma das suas maiores contribuições com os 35 mil euros da Fundação da Casa de Bragança. Anteriormente, apenas a Fundação Aga Khan, com 200 mil euros, tinha ultrapassado esta doação.

Esta campanha de angariação de fundos, que teve como parceiros principais a RTP, o jornal Público, a agência de publicidade Fuel e a Fundação Millennium BCP, dividiu a pintura em 10 milhões de pixéis para que cada português pudesse participar com um esforço mínimo de seis cêntimos.

Recorde-se que Cantanhede foi o primeiro município a fazer a sua contribuição, no valor de valor de 2.195,70 euros.

Na altura, Janeiro de 2016, o AuriNegra noticiava que a proposta partiu do líder do executivo camarário, João Moura, que justificou esta iniciativa inédita ao nível autárquico “pela necessidade de reforçar a mobilização dos cidadãos e das organizações públicas e privadas em torno de uma causa de indiscutível interesse cultural para o país, pois cria condições para todos os portugueses poderem beneficiar de um valioso património”.

Conforme explicou o autarca, “o montante que o Município de Cantanhede destina à criação do fundo para a compra da pintura de Domingos António de Sequeira corresponde a 0,06 euros por habitante do concelho, ou seja, a autarquia assume integralmente por toda a população o donativo proposto a cada português pela entidade promotora da campanha”.

Esta foi primeira campanha de angariação de fundos para a aquisição de uma obra de arte para um museu público levada a cabo em Portugal.

A Adoração dos Magos pertence aos descendentes do duque da Palmela e faz parte de um conjunto de quatro óleos a que a história de arte chama o “testamento” de Domingos Sequeira, um dos mais importantes pintores portugueses do século XIX.