Universidade Sénior de Mira: Nunca é tarde para aprender

Nunca é tarde para aprender, costuma ouvir-se dizer por aí, e o sucesso da Universidade Sénior de Mira parece-nos ser a prova viva disso mesmo.

Inaugurada há cerca de dois meses, este projecto da Câmara Municipal de Mira, em parceria com o Agrupamento de Escolas de Mira e o Contrato Local de Desenvolvimento Social, conta já com 141 seniores inscritos, que diariamente ocupam a mente com novos conhecimentos e os seus dias com momentos de convívio e de confraternização.

Da Informática, ao Inglês, passando pela Literatura e Cinema e até pelas Terapias Naturais, nesta universidade há disciplinas para todos os gostos.

O AuriNegra esteve na incubadora de Mira numa das aulas da Universidade Sénior e presenciou o entusiasmo das dezenas de pessoas, que ali têm oportunidade de aprender enquanto, concomitantemente, combatem a solidão.

Segundo Raul Almeida, presidente da Câmara Municipal de Mira, este projecto nasceu como forma de promover a ocupação do tempo na população sénior do concelho.

“Temos uma população muito envelhecida e como tal, também é obrigação do Município dar-lhes acesso a distrações gratuitas, onde aliem a parte do saber com a ocupação activa do seu tempo”, explica o autarca ao AuriNegra, acrescentando que o objectivo primordial “era tirar os seniores de casa e a resposta não poderia ter sido melhor”.

Na verdade, em pouco menos de dois meses, o número de inscrições não tem parado de crescer: “A Universidade Sénior está a ser um sucesso e a ultrapassar as expectativas, ainda que este seja o ano zero e a funcionar num só semestre experimental”.

“As pessoas estão a gostar”, frisa o autarca, e os alunos confirmam, aproveitando a presença de Raul Almeida na sala de aula para o cumprimentar e agradecer pela oportunidade de aprender.

Na área social, partilha, o projecto tem sido igualmente positivo e, como tal, é para dar continuidade no próximo ano lectivo, que arranca em Setembro. “O maior desafio foi lança-lo. Agora é necessário limar arestas e mantê-lo nos próximos anos nesta velocidade de cruzeiro”, sempre, não esquecendo “o apoio fundamental dos professores voluntários, das mais variadas áreas, e que oferecem o seu tempo para ensinar estes seniores. Temos desde médicos a jardineiros da Câmara aqui a dar aulas”

Entre os alunos da Universidade Sénior de Mira está João Fresco, de 86 anos, o mais sénior dos seniores que frequentam o projecto da autarquia.

“O meu objectivo é aprofundar a cultura. Diz-se que não há idade para aprender, deve-se aprender até morrer e é isso que pretendo fazer”, começa por nos contar.

A frequentar as turmas de Saúde e Bem-estar, História das Religiões e Informática, o octogenário, natural de Mira, quer ainda aprender a escrever no computador: “Tenho o hobbie de escrever e dava-me jeito aprender a mexer nestas máquinas”, refere sorridente, antes de regressar à aula de Saúde e Bem-Estar, onde o médico Mário Maduro fala, nesse dia, da tensão arterial e dos cuidados a ter nos que diz respeito ao coração.

No caso de Celeste Marques, de 67 anos e natural do Casal de S. Tomé, a ida para a Universidade Sénior foi o motivo ideal para sair de casa e conviver com outras pessoas. Professora aposentada, é com entusiasmo que agora inverte os papéis e se senta na sala de aula, atenta àquilo que lhe vão ensinando. “Sinto-me um bocado sozinha em casa e por isso estar aqui sabe-me muito bem. Isto é óptimo, e depois de tantos anos a ensinar também é bom aprender um pouco mais”.

Uma Universidade com pernas para andar

Dulce Cainé, vereadora da Câmara Municipal de Mira, é uma das pessoas envolvidas na criação da Universidade Sénior e confirma o sucesso do projecto.

“Tem sido um balanço muito positivo. Achávamos que íamos ter mais dificuldade, uma vez que é o primeiro ano, mas os resultados estão a ser uma surpresa. Há um crescimento notório”. A decisão de não encerrar as inscrições – pelo menos neste ano zero – leva a que a procura não pare de aumentar, o que até já obrigou, segundo a vereadora, “à compra de mais material para as salas de aula e ao desdobramento das turmas”.

Segundo Dulce Cainé, as aulas mais solicitadas são as de TIC e Hidroginástica (com três turmas), Inglês e Artes Decorativas (ambas prestes a abrir uma segunda turma), Terapias Naturais e Saúde Bem-Estar. Há ainda aulas de Espanhol, Jardinagem, História das Religiões, “Gândara – o Mar, a Terra e o Homem” e História Universal.

Para o próximo ano, o objectivo é aumentar a oferta, “consoante das preferências que nos forem chegando por parte dos seniores” e tornar a Universidade um projecto mais regulamentado. “Para tal já fizemos a candidatura à Rutis, a entidade que gere as Universidades Seniores. Até Setembro vamos avaliar as cargas horárias, o pagamento – ou não – do seguro escolar, elaborar plano de actividades mais rigoroso e pensar em novas disciplinas, sendo que algumas das opções que estão na mesa é o Francês, o Boccia e ginástica sénior”

# Universidade Sénior em números

  • 141 alunos
  • 48 homens
  • 93 mulheres
  • Idades dos 50 aos 86 anos
  • 11 disciplinas

Arminda Santos / Colmeal / 75 anos

“Eu vim numa de ‘Maria vai com as outras’. Falaram-me bem e eu decidi experimentar, sempre dá para conviver e aprender qualquer coisa”.

 

 

 

Maria Costa / Colmeal / 75 anos

“Estou só inscrita na turma de Saúde e Bem-estar. Queria aprender alguma coisa e o professor também me motiva”

 

 

Celeste Marques / Casal de S. Tomé / 67 anos

“Vim acima de tudo por causa do convívio e para sair de casa. Isto é óptimo e gosto muito de aprender”

 

 

 

João Lontro / Mira / 70 anos

“Decidi inscrever-me para aprender algumas coisinhas que ainda não sabia. Estou nas aulas de saúde-bem estar, na hidroginástica e na informática, uma área da qual não sei nadinha”.

 

 

João Fresco / Mira / 85 anos

“O meu objectivo na Universidade Sénior é aprofundar a cultura. Diz-se que não há idade para aprender, deve-se aprender até morrer e é isso que pretendo. Estou nas turmas de saúde e bem-estar, história das religiões e informática”

One thought on “Universidade Sénior de Mira: Nunca é tarde para aprender

  • 27 Fevereiro, 2017 at 20:19
    Permalink

    Excelente iniciativa da Câmara Municipal, com uma adesão acima do que era esperado. Parabéns à organização, e boa sorte para todos os alunos, e ” . . . nunca é tarde para aprender . . .”.

Comments are closed.