Murtede celebrou Dia da Freguesia

Realizou-se no passado dia 8 de Dezembro mais uma edição do Dia da Freguesia de Murtede, cujas celebrações incluíram momentos de animação cultural, intervenções institucionais, uma apresentação sobre a história da freguesia e a entrega da Medalha de Mérito da Freguesia de Murtede.

Nas intervenções institucionais, Carlos Fernandes, presidente da Junta local, aproveitou precisamente as temáticas do programa para dizer que este é um “dia de externalização da Junta e da própria freguesia”, que “procura os fregueses e se dá um pouco mais a conhecer”, o que só é possível porque “a freguesia de Murtede tem histórias e tem história”. O autarca destacou o papel da empresa homenageada – Sarmento, Martins & Fernandes, SA – e dos seus responsáveis no apoio à empregabilidade, na formação profissional e no apoio ao associativismo. Neste particular, relevou as associações da freguesia e o seu trabalho, que têm contribuído para o “crescimento e afirmação do território”. Elencou ainda um conjunto de obras que pretende executadas na freguesia e para as quais conta com o contributo do Município de Cantanhede.

Reinaldo Dinis, presidente da Assembleia de Freguesia de Murtede, dedicou a sua intervenção à cidadania activa, recordando que este dia festivo pode ser um momento de reflexão e de aproximação à autarquia, mas também de criação de ideias, dinâmicas e projectos, em que cada um pode ajudar ao crescimento da freguesia.

Já Helena Teodósio, presidente da Câmara Municipal de Cantanhede, destacou alguns constrangimentos orçamentais que se têm verificado, “seja ao nível dos concursos públicos, seja da transferência de competências”. Apesar disso, reiterou a “vontade e o compromisso de executar as obras acordadas com todas as juntas de freguesia e, neste caso, com a Junta de Freguesia de Murtede”.

 

Sarmento, Martins & Fernandes, SA

Apesar de ter sede em Sernadelo, Mealhada, a empresa Sarmento Martins & Fernandes S. A. teve o seu início de actividade em Novembro de 1986, tendo sido constituída inicialmente como Sociedade por quotas, cuja finalidade era a exploração do espaço de restauração existente na Área de Serviço Cantanhede/Mealhada na Auto-estrada do Norte – A1 (localidade de Enxofães, freguesia de Murtede).

Os três sócios fundadores, Gonçalo Sarmento Jesus Neves, José Martins Bernardo e Sidónio de Almeida Fernandes, assumiram a exploração das duas lojas de conveniência existentes na Área de serviço por contrato efectuado com a empresa que tinha a concessão da Brisa para exploração do posto de combustíveis, a empresa petrolífera MOBIL.

Em 1987 abriu o troço da A1 que ligava a Mealhada a Albergaria-a-Velha, o que permitiu a ligação por Autoestrada no percurso de Condeixa-a-Nova ao Porto e trouxe uma nítida evolução do movimento na Autoestrada, o que veio a tornar exíguas e inadequadas as instalações existentes. A actividade foi iniciada com cerca de 30 funcionários, e desde logo os dois estabelecimentos estavam abertos durante 24 horas. Apesar de algumas dificuldades na contratação de pessoal habilitado, a empresa foi admitindo e dando formação a diverso pessoal, oriundo sobretudo da freguesia de Murtede, mas também de outras freguesias limítrofes ou próximas. Em 1991 as necessidades de pessoal aumentaram ainda mas com a construção do restaurante no sentido Sul/Norte, que coincidiu com a abertura do último troço da A1, que veio completar a ligação por autoestrada entre as cidades de Lisboa e Porto.

Com o decorrer dos anos, foram feitas algumas alterações à estrutura societária e ao modelo de gerência, assim como às próprias instalações, no sentido de as tornar mais espaçosas e funcionais. Destaca-se aqui, em 1998, a demolição dos edifícios originais e a construção de um novo restaurante no sentido Norte/Sul, tendo-se entretanto alterado também o concessionário da própria Área de Serviço, que passou da da Mobil para a BP.

Já no século XXI, a empresa começa a atravessar dificuldades devido a diversos acontecimentos que se vão sucedendo: a exploração negociada com a BP de áreas de serviço da A8 (na Nazaré) e na A15 (Rio Maior) revelou-se um negócio ruinoso; seguiram-se os anos da crise, em que o afluxo de clientes reduziu cerca de 40%; também a abertura da A17 trouxe mais concorrência e acentuou a perda de clientes; depois a alteração efectuada pela BP no Posto de Combustíveis permitiu que este passasse a ser concorrente directo na parte da restauração e loja de conveniência.

A presença da empresa Sarmento Martins & Fernandes em Enxofães terminou quando esta não conseguiu a renovação do contrato de concessão, tendo a BRISA entregue a uma multinacional a concessão de todas as suas Áreas de serviço, pelo que a empresa ficou reduzida à exploração da Área de Serviço da Nazaré na A8, onde ainda tem cerca de 10 funcionários.

Ao longo destes 30 anos de presença na Estação de Serviço de Cantanhede/Mealhada, localidade de Enxofães, Freguesia de Murtede, sempre a empresa contribuiu para desenvolvimento económico e social, na medida em que largas dezenas de trabalhadores por ali passaram, ali obtiveram emprego e ali obtiveram formação profissional na área da restauração. A empresa contribuiu para o desenvolvimento associativo e local, na medida em que apoiou financeira, logística e materialmente diversas iniciativas, associações e instituições, das quais se destacam também os apoios concedidos à Junta de Freguesia.