Mortalidade por pneumonia: Portugal em segundo lugar na Europa

Portugal é o segundo país da Europa com a mais elevada taxa de mortalidade padronizada por pneumonia, colocando o país “mal na fotografia”, como reconheceu a directora do Programa Nacional das Doenças Respiratórias.

De um conjunto de 23 países europeus da OCDE, Portugal apenas é ultrapassado pela Eslováquia, que surge como o Estado com a maior taxa de mortalidade devido a esta doença.

Num relatório da Direcção-Geral da Saúde, divulgado esta terça-feira (8 de Março), as pneumonias surgem como a principal causa de mortalidade respiratória. Ainda assim, abaixo dos 65 anos, há evidência de uma redução da taxa padronizada de mortalidade de 23,5% de 2009 para 2013.

No seu conjunto, as doenças respiratórias são a quinta principal causa de internamento e a primeira causa de mortalidade intra-hospitalar. No que diz respeito a internamentos, a pneumonia foi responsável por 40 mil episódios, sendo que 74% desses se referem a pessoas com mais de 65 anos.

Apesar de a taxa de vacinação da gripe ter tido aumentos constantes – situando-se em 2015 já nos 65% nos idosos, os responsáveis do Programa Nacional para as Doenças Respiratórias pretendem aumentar ainda mais os níveis de vacinação. Também a cobertura da vacina pneumocócica – que é esperada com a inclusão no Plano Nacional de Vacinação – será reforçada, devendo ter impactos na redução da mortalidade por pneumonia.

Quanto aos encargos com medicamentos, as doenças respiratórias – excluindo o cancro do pulmão – levaram a gastos de 213 milhões de euros em 2014, o que dá uma média superior a 580 mil euros por dia.