“Mochinhos da Sabedoria” ajudam na concentração dos mais pequenos

Estimular e trabalhar a atenção nos mais pequenos. É este o objectivo do projecto Mochinhos da Sabedoria, que foi o mote para uma acção de formação que teve lugar no jardim-de-infância da Gira Sol, no passado dia 4 de Março, em Febres.

No total, foram mais de 50 as pessoas, – entre educadoras, auxiliares educativas e pais –, que acederam ao convite da Associação de Desenvolvimento de Febres e, que durante cerca de uma hora e meia, dedicaram a sua atenção a Sandra Costa, psicóloga de formação e umas das mentoras deste projecto, criado em 2013, em Viseu.

Centrado nas questões da atenção e concentração das crianças dos 2 aos 6 anos, a intervenção de Sandra Costa começou pela explicação daquilo que é a atenção e a concentração e de que forma estas podem ser estimuladas/treinadas, através de exercícios práticos, também explicados no livro com o mesmo nome do projecto.

A Perturbação de Hiperactividade / Défice de Atenção (PHDA)  foi outra das temáticas abordadas. Neste caso, a psicóloga referiu a meditação como forma de controlar a doença, sem ter que recorrer a químicos, uma realidade que, segundo notícias recentes, se tem vindo a tornar preocupante: “Mais de 30% dos consumidores de Ritalina – um dos medicamentos mais utilizados para o tratamento de PHDA têm menos de 9 anos”, referiu Sandra Costa, assumindo que a medicação pode ser utilizada mas apenas em casos mais extremos e em que fique provado que outras técnicas não tiveram resultados.

“O nosso objectivo principal é ajudar as crianças. O livro tem uma parte prática e uma parte teórica e foi feito com a premissa de aumentar os tempos de concentração, sem recurso à medicação”, explica, acrescentando que a divulgação do mesmo tem sido feita junto de instituições que lidam com crianças e através das redes sociais, como no facebook dos Mochinhos da Sabedoria.

De acordo com Sónia Costa, a receptividade por parte das pessoas tem sido “muito boa. As pessoas aderem, compram o livro e metem em prática o que lá vem”. Em Febres, a psicóloga refere ter sido muito bem recebida e foi com emoção que aceitou um presente da Gira Sol: mochos de cartolina feitos pelos alunos, com a ajuda de toda a equipa. No final, antes de um lanche convívio, houve ainda um momento para as pessoas interessadas tirarem dúvidas, encomendarem o livro ou simplesmente trocarem ideias com a psicóloga.