Misericórdia de Montemor distinguiu 63 voluntários com mais de 65 anos (com fotogaleria)

No passado domingo, dia 16 de Outubro, o Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz foi o palco de uma sentida homenagem a 63 montemorenses que dedicaram a vida ao voluntariado em prol da comunidade.

“Pessoas únicas que merecem a nossa sincera admiração, pessoas que dedicaram muito do seu tempo para construir algo de bom, para dar vida a sonhos”, referiu Emílio Torrão, presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, que fez vibrar a vasta plateia presente na I Gala Sénior, promovida pela Santa Casa da Misericórdia de Montemor-o-Velho.

A homenagem “pública, feita em vida” não deixou ninguém indiferente. Para Emílio Torrão, esta “é uma iniciativa muito importante” porque “reconhece o trabalho e a dedicação destas pessoas. Este é o seu momento de protagonismo, de vitória e de reconhecimento por tudo aquilo que têm feito ao longo da vida”.

O edil montemorense deixou ainda palavras de elogio à Santa Casa da Misericórdia de Montemor-o-Velho que, apesar da avançada idade de 518 anos, “está como nunca esteve”, em “profunda ebulição”, numa permanente “actividade inovadora e útil à comunidade” e a desenvolver “coisas verdadeiramente espectaculares, inovadoras e incríveis”.

Uma delas é o Banco de Ajudas Técnicas Solidário, que cede gratuitamente equipamentos técnicos como cadeiras de rodas, camas articuladas ou cadeiras sanitárias, e que nessa tarde saiu ainda reforçado com a receita da Gala. “É com estas verbas que vamos construindo o nosso futuro”, uma vez que, de acordo com o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Montemor, o banco “já não tem capacidade de resposta para os pedidos cada vez mais crescentes”. Manuel Carraco, que foi também um dos homenageados, fez questão de explicar a sua distinção: “Não é lógico”, referiu o provedor, “mas nunca poderia rejeitar a proposta da APPACDM, tão respeitosa e digna instituição. Por isso aceitei.” Visivelmente emocionado, Manuel Carraco salientou que “a solidariedade não pode ser uma palavra vã, tem de ser usada entre todas as instituições para se construir um mundo melhor”.

A I Gala Sénior contou ainda com a participação da Tuna Bruna, do Coro Polifónico da Associação Filarmónica União Verridense, de Chico Girão, de Sara Travassos e Cláudio Dias com Baluarte que animaram ainda mais o espetáculo.