Mira: Zona Industrial de Montalvo inaugurada com investimento belga

A zona industrial de Montalvo, em Mira, que vai ser inaugurada no próximo dia 8 de Abril, vai acolher um investimento de dez milhões de euros de um grupo empresarial belga, que criará 50 postos de trabalho directos.

“Este é um investimento estratégico para esta nova área industrial, funcionando como uma âncora para a captação e fixação de novas empresas no local”, refere o presidente do município, Raul Almeida, que acrescenta estar “em negociações para a concretização de novos investimentos no concelho”.

Denominada Polo de Desenvolvimento Tecnológico do Montalvo, a nova zona industrial de Mira conta com uma área de 40 hectares e será inaugurada numa cerimónia que contará com a presença do secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão, Nelson Souza. A inauguração será seguida pelo lançamento da primeira pedra do investimento da empresa belga, Gracious Circle Energy.

A nova unidade, que deverá começar a funcionar ainda no Verão deste ano, é uma fábrica produção de carvão vegetal “pirolítico”, uma tecnologia apresentada pela empresa como sendo “totalmente amiga do ambiente, assente num novo paradigma de produção deste produto, voltado para a sustentabilidade, respeito pelo meio ambiente e eficiência na utilização dos recursos naturais”.

O investimento conta com financiamento comunitário superior a seis milhões de euros, no âmbito do programa COMPETE 2020, sendo o restante investimento suportado pelo grupo de investidores belgas.

De acordo com Raul Almeida, “trata-se de um projecto que vem realçar e reforçar o posicionamento estratégico de Mira, em termos de localização geográfica e proximidade de importantes vias de comunicação, capazes de captar este tipo de investimentos, determinantes para o desenvolvimento económico e social da região”. A nova unidade industrial, que contará com um sistema de produção ininterrupta, funcionando em três turnos, sete dias por semana, ficará instalada num lote de 32 mil metros quadrados vendido pela autarquia em 2015 por 200 mil euros.

No entanto, e segundo a autarquia, os investidores belgas adquiriram já mais dois lotes contíguos ao inicial e firmaram opção de compra para um quarto lote.  “O executivo municipal encontra-se em negociações para a concretização de novos investimentos no concelho, esperando, num curto espaço de tempo, estar em condições de anunciar novos projetos empresariais que irão potenciar a criação de novos postos de trabalho e o crescimento económico do concelho”; concluiu Raul Almeida.