Medicamento contra o cancro

Uma equipa de cientistas dos Estados Unidos descobriu um possível medicamento que faz com que as células cancerígenas se autodestruam, revela um estudo publicado na revista Proceedings of The National Academy of Sciences.

O novo composto químico actua sobre as células cancerígenas com mais precisão do que qualquer tratamento existente, segundo a investigação realizada por cientistas da organização biomédica The Scripps Research Institute, na Flórida.

A grande novidade do medicamento, já testado em animais, é a precisão, já que ataca directamente as células que provocam o cancro, incluindo as ocultas, e não afecta as células saudáveis.

O medicamento activa um mecanismo que faz com as células cancerígenas se matem a si mesmas de “forma programada”, explicou o professor Matthew Disney, que liderou a equipa de investigação.

O novo composto pode implementar-se nos principais medicamentos utilizados contra o cancro, para melhorar a identificação das células cancerígenas e actuar diretamente contra elas.

Aquilo significa que não só será um tratamento eficaz, porque actua directamente contra o tumor, como minimiza os danos nas células saudáveis.

Segundo os cientistas, o tratamento é mais eficaz no cancro da mama, principalmente no de rápido crescimento.

Os cientistas pretendem que o medicamento, assim que for aprovado, seja aplicado no futuro a todo o tipo de tumores, incluindo para combater outras doenças provocadas por vírus como o Zika e o Ébola.