MeaJazz foi sucesso para repetir em 2018

“Um sucesso acima das expectativas mais otimistas”. Foi desta forma que o presidente da Câmara Municipal da Mealhada classificou o festival MeaJazz, que juntou, no passado fim-de-semana, no auditório ao ar livre da Quinta da Nora, no centro da cidade da Mealhada, oito grupos, com mais de meia centena de músicos, provenientes de cinco países.

“Tratando-se do 1.º festival de jazz realizado na Mealhada, um concelho sem tradições neste género musical, e tendo em conta que nos concelhos vizinhos decorreram eventos, em simultâneo, com artistas muito conhecidos – Daniela Mercury, em Anadia, por exemplo -, a moldura humana que, apesar disso, se juntou nos dois dias do MeaJazz e os comentários elogiosos do público, dos comerciantes e dos munícipes em geral permite-nos afirmar que o balanço é francamente positivo”, afirma o autarca Rui Marqueiro.

Recorde-se que no primeiro dia do MeaJazz subiram aos três palcos do festival o trio do vibrafonista canadiana Jeff Davis Trio, a pianista e cantora eslovaca Andrea Bucko, o grupo portuense The Rite of Trio Jazz PA (Brasil/Portugal) e o quarteto Jazz Pá, liderado pelo baterista brasileiro Ronaldo Firmino.

O segundo e último dia do 1º Festival de Jazz da Mealhada abriu com o concerto do exímio violinista José Valente, seguindo-se o muito aplaudido espetáculo dos hispano-argentinos El Show de Dodó, terminando a noite com a Orquestra de Jazz de Leiria. Nos momentos finais, juntou-se a esta orquestra o Coimbra Gospel Choir, que fez a inusitada fusão do gospel com o jazz. Um momento bastante aplaudido

“O cartaz do MeaJazz incluiu artistas/grupos de vários subgéneros de jazz, como dixieland (1910), Swing das Big bands (1930 e 1940), bebop (1940), jazz latino (1950 e 1960) e o jazz de fusão (1970 e 1980), ou seja, apresentámos uma oferta do mais ‘clássico’ e tradicional ao mais alternativo”, lembrou o presidente da Câmara Municipal, um melómano e grande fã de jazz e de músicos/compositores que foram recordados neste festival da Mealhada, como Charlie Parker, Bessie Smith, Chet Baker, Count Basie, Duke Ellington, Ella Fitzgerald, Glenn Miller, John Coltrane, Louis Armstrong, Miles Davis ou Nat King Cole.

Atendendo ao sucesso registado com esta 1.ª edição do festival, Rui Marqueiro entende que o próximo Executivo tem as sementes lançadas para apresentar, em 2018, a 2ª edição do MeaJazz.