Mata do Bussaco classificada como monumento Nacional

O Conselho de Ministros classificou como monumento nacional o conjunto do “Palace Hotel do Bussaco e mata envolvente, incluindo as capelas e ermidas, Cruz Alta e tudo o que nela se contém de interesse histórico e artístico, em conjunto com o Convento de Santa Cruz do Bussaco”.

Para o Presidente da Câmara Municipal da Mealhada (CMM), Rui Marqueiro “a decisão do Conselho de Ministros vem corrigir um erro grave que tardava em ser corrigido e fazer finalmente justiça a um espaço majestoso e imponente, de rara beleza, único no país. Uma Mata Nacional que guarda nos seus 105 hectares de área murada um património de incomensurável importância histórica, cultural, ambiental, religiosa e militar, não podia continuar a ser apenas um Imóvel de Interesse Público, como era desde 1943”.

Manifestamente satisfeito com a elevação à categoria de Monumento Nacional, Rui Marqueiro, também ele membro do Conselho Consultivo da Fundação Mata do Bussaco (FMB), frisa que “valeram a pena as sucessivas reivindicações da CMM e da FMB”. “Andávamos há imenso tempo a fazer um trabalho de ‘diplomacia’ silenciosa, discreta, mas insistente, no sentido de sensibilizar o Governo para a urgência em rectificar este erro grave que persistia sem qualquer justificação. Nunca nos resignámos. Nos últimos tempos fomos ainda mais determinados nas reivindicações. E isso deu frutos. Finalmente ouviram os nossos protestos”, afirmou o presidente do Município da Mealhada.

Já o presidente da Fundação Mata do Bussaco, António Gravato, subscreve as palavras de Rui Marqueiro e acrescenta que “é uma alegria enorme. É a melhor prenda de Natal que nos podiam ter dado. Fez-se justiça. Agora, temos o caminho facilitado para a candidatura que temos já em curso a Património Mundial da UNESCO, para além de que, com o estatuto de Monumento Nacional, também temos outras condições – mais favoráveis – em candidaturas a apoios comunitários”.

Um passo fundamental para o sucesso desta candidatura é a requalificação do património existente. A Câmara Municipal da Mealhada já adjudicou a empreitada de “Requalificação e Valorização da Mata Nacional do Bussaco – Recuperação do Convento de Santa Cruz e das Capelas dos Passos e da Via-Sacra”, uma obra orçada em um milhão de euros.  Trata-se de uma obra complexa, já que a intervenção é sobre um património histórico, que terá em conta as exigências da Direcção Regional de Cultura do Centro, com quem a Autarquia celebrou um contrato, assumindo-se como dono da obra e assumindo a componente financeira nacional do financiamento comunitário que vier a ser atribuído à candidatura apresentada pela Fundação Mata do Buçaco.