“Massagem de Som” deu a conhecer terapia oriental

Cinquenta pessoas inscritas no projecto “Tardes Comunitárias: Dar + Vida aos Anos” beneficiaram de uma “Massagem de Som – Taças Tibetanas”, numa sessão realizada por Nuno e Cristina Cunha, no antigo Salão dos Bombeiros Voluntários, em 5 de julho.

Esta prática milenar foi explorada e desenvolvida ao longo de anos de prática e estudos, por Peter Hess, engenheiro de física mecânica e pedagogo que desenvolveu a massagem de som, adaptando-a às necessidades das pessoas das culturas ocidentais. A técnica baseia-se na produção de vibrações harmónicas que pelos efeitos das ondas mecânicas induzem ao relaxamento físico e aumento do bem-estar geral. A Massagem de Som, segundo Peter Hess, é utilizada nos cuidados de saúde, na fisioterapia e psicoterapia, no relaxamento, na pedagogia, no trabalho com pessoas com necessidades especiais

As taças e os gongos utilizados nesta prática são objetos produzidos artesanalmente, compostos por uma liga metálica cuja composição pode integrar até catorze metais. Esta composição metálica possibilita que estes instrumentos de som ao serem percutidos consigam fazer vibrar cinco tons em simultâneo, mantendo a sonoridade durante vários minutos, o que as torna num instrumento musical único.

Nuno Cunha é Formador em Terapia de Som nos Graus 1, 2, 3 e 4. Em 2005 fez a formação de massagem de som segundo Peter Hess e, em 2010, recebeu a autorização de Ingrid Ortelbach, diretora da Academia Peter Hess Portugal e pioneira da terapia de som em Portugal, para facilitar os cursos de massagem de som Peter Hess. Nuno Cunha e também facilitador de Biodanza (Rolando Toro Araneda), Mestre e Facilitador de Reiki Essencial (sistema Mikao Usui), Medicina Tradicional Chinesa (Instituto Português de Naturologia) entre outros.

A massagem de som resulta de um concerto executado a partir da percussão de taças, pratos, gongos e címbalos metálicos, cujas vibrações produzem efeitos terapêuticos, bem-estar físico e mental.