Manuel Castelo-Branco distinguido pelo Rotary Clube de Coimbra –

No passado dia 30 de Janeiro, o Rotary Clube de Coimbra – Olivais entregou a distinção de “Profissional do Ano”, durante um jantar-festivo realizado na Adega Cooperativa de Cantanhede e que contou com cerca de uma centena de participantes.

A personalidade distinguida foi Manuel Castelo- Branco, advogado e Presidente do ISCAC – Coimbra Business School. Na ocasião, Manuel Castelo-Branco revelou-se agradecido pela distinção: “É com vaidade que aceito esta distinção, que acaba por ser colectiva, pois é também para quem está atrás da cortina e trabalha pelo ISCAC: funcionários, professores, entre outros. Esta distinção é vossa também e só a recebo porque sou eu que estou debaixo dos holofotes”.

Segundo o também advogado, a distinção teve um sabor ainda mais especial, uma vez que foi recebida em Cantanhede, localidade onde cresceu, e pelas mãos deste Clube Rotário, “um grande amigo da nossa escola e um grupo que conjuga a excelência profissional com a autoridade com que a exercem”.

Visivelmente emocionado, Manuel Castelo Branco aproveitou a ocasião para se assumir como um afortunado “pelos amigos e família que tenho”. Recordando o pai – Manuel Castelo-Branco (falecido em 2016) –, e dirigindo-se à mãe – Noémia Lobo Castelo-Branco – o advogado acrescentou: “Sabemos quanto vos devemos, o quanto fizeram por nós e o quanto estamos e estaremos sempre aquém de vocês”.

Antes, na apresentação pública do homenageado, Jorge Castilho, Presidente do Rotary Clube de Coimbra – Olivais, fez o elogio de Manuel Castelo Branco. Traçou a sua biografia, falou do seu gosto pelo associativismo desde os tempos de Liceu, quando foi Presidente das Associações de Estudantes das Escolas Secundárias de Cantanhede e de José Falcão (Coimbra), aludiu à sua passagem pela política, como dirigente do CDS (partido que deixaria no ano 2000) e como Chefe de Gabinete da Ministra da Justiça Celeste Cardona. Citou depois diversos excertos de artigos de opinião do homenageado e de entrevistas por ele concedidas, com críticas à “economia híper-liberal” e desumana que hoje prevalece, coisa que, referiu Jorge Castilho, “choca o nosso homenageado, já que ele é, como poucos, por pensamentos, palavras e obras, um genuíno humanista, que bem faz jus à singela homenagem que agora, aqui, lhe prestamos”.

A anteceder o jantar, houve uma visita às caves da Adega de Cantanhede, guiada por Víctor Almeida e Maria Miguel Manão, que deram a conhecer a forma de produção dos néctares da cooperativa, alguns dos quais puderam ser degustados à refeição, devidamente apresentados e caracterizados pelo enólogo da casa, Osvaldo Amado.

Registo merece também um momento musical, a cargo de João Paulo Cavadas, professor de música e colega de escola do homenageado, que interpretou duas canções com música de sua autoria e letra do escritor gandarês António Canteiro. Entre os participantes, e para além de muitos amigos e familiares do homenageado, estiveram a Cônsul Honorária de França, Amina Mazouza, o Governador do Lions, Raúl Amado, o Assistente do Governador do Distrito 1970 de Rotary, Nuno Mendonça, o Presidente do Lions Club de Coimbra, Alexandre Gomes da Silva, a Past Presidente do Lions Club de Cantanhede, Isabel Cristina Carvalho, a nova Presidente e o Presidente cessante do Conselho Geral do Instituto Politécnico de Coimbra, respectivamente Filomena Girão e João Palmeiro, o Presidente da Adega Cooperativa de Cantanhede, Vítor Damião, a quase totalidade dos membros do Rotary Clube de Coimbra-Olivais, e membros dos Rotary Clubes de Coimbra, de Coimbra-Santa Clara, da Curia Bairrada e da Figueira da Foz.