Junta de Freguesia de Febres apoia as famílias

A Junta de Freguesia de Febres acaba de lançar uma campanha de incentivo à natalidade que tem como objectivo “melhorar a qualidade de vida dos seus munícipes” e, em simultâneo, “combater a diminuição da taxa de natalidade e o envelhecimento populacional”.

Neste sentido, a Junta de Freguesia atribui 100 euros por filho, aos pais e/ou encarregados de educação que apresentarem comprovativo de despesas efectuadas no comércio local. Este subsídio é válido para crianças que residam na freguesia e que tenham nascido depois de 1 de Janeiro de 2019.

“O incentivo permite melhorar as condições de vida da população, especialmente das crianças no primeiro ano de vida, e, em simultâneo, promove a economia e o comércio local”. Numa outra faixa etária, a JF de Febres, promove, mais uma vez, o Prémio Conselheiro Costa Soares, que será, este ano e pela primeira vez, atribuído aos dois melhores alunos dos últimos anos dos 2.º e do 3.º ciclo das escolas da freguesia, respectivamente.

O prémio – no valor de 150 euros para o aluno vencedor do 2.º ciclo e 350 euros para o vencedor referente ao 3.º ciclo – será atribuído numa data ainda por definir, mas numa cerimónia a realizar no Salão Nobre da Junta de Freguesia.

Segundo Carlos Alves, Presidente da Junta, “a missão é fazer de Febres uma freguesia cada vez mais amiga das famílias. Neste sentido, estamos a fazer opções que traduzem essa vontade, sendo exemplo disso mesmo o incentivo à natalidade e o Prémio Conselheiro Costa Soares mas também a regularização das situações de habitação social (praticamente concluída) assim como os vários projectos culturais dirigidos às famílias, como é o caso da Caminhada Avós e Netos, as Pequenas Vozes de Febres ou os ateliers de costura e culinária”.

Embora assuma “que não são estes prémios ou o subsídio que vão resolver o problema do envelhecimento da população ou a fixação de jovens casais”, Carlos Alves reforça que “é necessário começar por algum lado. Agora cabe ao município desenvolver políticas de emprego, daí considerar urgente e necessária a ampliação da Zona Industrial de Febres, para que seja possível captar novas empresas e para que a nossa freguesia se possa renovar”.