Joana Veríssimo lança-se na escrita

Chama-se Joana Veríssimo, é natural de Mira, e embora seja licenciada em Jornalismo e Comunicação, é na escrita criativa que se vai lançar. Amanhã (25 de Novembro) a jovem vai apresentar a sua primeira obra “Há pesadelos que nos fazem acordar”, num evento que terá lugar na Biblioteca Municipal de Mira, a partir das 15h00.

A apresentação, a cargo de José Carlos de Jesus, insere-se no programa de divulgação de autores gandareses, levado a cabo pela Biblioteca Municipal, e onde têm sido apresentadas obras de diferentes autores, nomeadamente Manuel Miranda, António Canteiro, Euclides Cavaco, Cidalino Madaleno, Victor Milheirão, entre outros.

Ao AuriNegra, Joana Veríssimo explicou que a descoberta do gosto pela escrita aconteceu há muito. “Comecei na escrita muito novinha, basicamente desde que aprendi a escrever. No início escrevia pequenas histórias infantis mas quando cheguei à adolescência comecei a escrever para exorcizar a dor e as experiências menos boas que fui tendo”.

O prazer de escrever levou-a a escolher o curso de Jornalismo, que concluiu em Julho deste ano, pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. “Escolhi jornalismo porque desde pequena sempre senti um fascínio enorme pela área. A influência do meu pai [António Veríssimo, jornalista de Mira] teve muito impacto, porque cresci rodeada da paixão dele pelo jornalismo e pela escrita, mas nunca houve uma interferência directa da parte dele”, explica.

Neste primeiro livro, a jovem autora retrata-se em vários textos que têm como pano de fundo algumas vivências pessoais. “Inspirei-me nas experiências que fui vivenciando. Este livro acaba por ser uma coletânea de textos que escrevi em diversos momentos da minha vida e que serviram para, de certa forma, superar algumas experiências”.

Actualmente a trabalhar fora da área do jornalismo, Joana explica que decidiu parar um ano “para orientar as minhas ideias, porque não tenho a certeza do caminho que quero seguir, se o do jornalismo ou se de algo mais relacionado com a comunicação ou o marketing”. O objectivo passa agora por se focar no livro lançado e na escrita dos próximos. “A curto prazo, a minha prioridade é a escrita, porque foi um sonho que adiei ao longo dos meus anos de estudo, e que agora não quero largar tão depressa”, partilha.