Joana Rita expõe ilustrações na Biblioteca Municipal de Cantanhede

“Papagena” é o tema da exposição da ilustradora Joana Rita que está patente ao público na Biblioteca Municipal de Cantanhede até 31 de Março. O título remete para uma das personagens centrais da ópera “A Flauta Mágica”, de Mozart, designadamente a noiva prometida de Papageno, o protagonista, numa alusão que pretende assinalar o Dia Internacional da Mulher (8 de Março).

No total, estão em exposição mais de uma dezena de trabalhos, entre ilustrações, postais e esboços inspirados nas várias dimensões do género feminino, através da utilização das técnicas que melhor caracterizam “um processo criativo que combina a cor e a linha com o fascínio por padrões e recortes”.

Joana Rita é uma ilustradora curiosa, amante e praticante de dança, apaixonada pelo mundo das histórias e interessada em cruzamentos artísticos. Nascida em Coimbra, em 1983, e residente em Lisboa, iniciou a sua formação em pintura, licenciou-se em design gráfico e é Mestre em ilustração, área em que fez formações complementares na área do movimento e da narração oral. No seu percurso diversificado há também uma forte ligação à música e à escrita, paralelamente à ilustração de livros e à participação em actividades de promoção das artes, da cultura e da leitura, entre as quais o projecto artístico “Histórias aos Retalhos” com uma forte componente de educação através da arte, tendo como objectivo a valorização da diversidade cultural.

Entre os prémios que venceu estão o 1.º Prémio no concurso “Viaje com o Elefante”, organizado pelo Mestrado em Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (2011), e uma distinção no concurso “HIV/Sida nas Mulheres e nas Crianças“ com a ilustração “Puzzle“, da Escola Universitária das Artes de Coimbra (2004).

Joana Rita participou ainda na Residência Artística na Capital Europeia da Cultura 2012, no encontro literário “Munda Lusófono” em 2015 e ilustrou livros para prestigiadas editoras, com destaque para autores como Alexandre Honrado, Lurdes Breda e Ana Caridade. Além disso, participou como bailarina e percussionista em variados grupos de música tradicional, folk e medieval e em eventos de recriação histórica, tendo organizado ainda o “uniVerso – Círculo de Poesia” em Coimbra.