Investigador português recebe 10 mil euros para estudar dor neuropática

Fernando Mar, investigador português do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (I3S), no Porto, acaba de receber uma bolsa no valor de 10 mil euros para identificar novos mecanismos para compreender a dor neuropática, um tipo de dor crónica que afecta gravemente a qualidade de vida.

De acordo com Fernando Mar, o investigador premiado: “Este trabalho irá permitir identificar que alterações existem na estrutura do segmento inicial do axónio e se estas têm repercussão na atividade neuronal. Desta forma poderemos compreender de que forma a regulação do segmento inicial do axónio pode ser usada para o tratamento de situações de dor crónica”.

A dor neuropática deve-se essencialmente a uma disfunção da actividade neuronal e o segmento inicial do axónio é extremamente importante para o controlo da actividade neuronal.

A equipa deste projetco inclui ainda os investigadores Ana Nascimento, Liliana Luz, Mónica Sousa, Boris Safronov, Francisco Figueiredo e Gabriel Martins.

A Bolsa para Jovens Investigadores em Dor é uma iniciativa da Fundação Grünenthal. O projecto foi apreciado por um júri que avaliou a originalidade da pergunta de investigação, incluindo a importância e possíveis repercussões científicas e sociais, assim como a qualidade do plano de investigação.

A Fundação Grünenthal é uma entidade sem fins lucrativos que tem por fim primordial a investigação e a cultura científica na área das ciências médicas, com particular dedicação ao âmbito da dor e respetivo tratamento. Para mais informações consulte www.fundacaogrunenthal.pt.