“Identidade Visual ao Longo dos Tempos” discutida no Museu da Pedra

AIdentidade Visual ao Longo dos Tempos” foi o mote da palestra que Daniel Raposo, professor e designer, dinamizou no auditório do Museu da Pedra.

O evento, que contou com a p1391.bigresença de cerca de uma centena de participantes, abordou, sob uma perspectiva evolutiva, a identidade visual em diferentes épocas e contextos, recorrendo, para o efeito, a alguns exemplos dos mais impactantes símbolos gráficos – desde as civilizações antigas até ao séc. XXI.

Após uma retrospectiva histórica, o investigador na área do Design de Identidade e Imagem Corporativa, apresentou alguns projectos de identidade visual, como por exemplo a marca “Porto”, vencedora do prémio principal (Best of Show) dos European Design Awards 2015 (ED-Awards), assim como o símbolo da marca “MTV”, que ao longo de vários anos tem representado de forma dinâmica uma das maiores indústrias mundiais de música.

O prestigiado designer referiu que “o Homem é um ser simbólico na vivência em sociedade”, acrescentando ainda que “o indivíduo cria um universo de símbolos que, pela sua importância, são representados graficamente para comunicar, diferenciar, identificar e persuadir”.

Com a dinamização a cargo do designer Pedro Ramos e com a abertura da sessão de abertura a cargo do vereador com o pelouro da Cultura, Pedro Cardoso, a iniciativa visou dar a conhecer, de uma forma mais profunda, a importância da identidade visual na vida quotidiana do Homem num meio social em constantes transformações.

Pedro Cardoso destacou a “importância deste tipo de iniciativas na programação cultural, sublinhando o carácter inovador da temática escolhida”. O autarca salientou ainda “o interesse educativo deste tipo de sessões para o público escolar, numa perspectiva de proporcionar mais espaços de formação complementares ao currículo”.

No final da palestra, e de acordo com uma nota enviada ao AuriNegra, a satisfação dos presentes era notória. “Os participantes congratularam-se com a realização desta inovadora sessão. Alguns pretendem seguir esta área e retiraram daqui ilações muito proveitosas em relação ao seu futuro. Foi também lançada uma ideia para a dinamização de sessões semelhantes, para que investigadores de referência se desloquem a Cantanhede para partilharem os seus conhecimentos, enriquecendo os profissionais da área e demais interessados”.

Sobre Daniel Raposo

Daniel Raposo é doutorado em Design, com a Tese “A letra como signo de identidade Visual Corporativa”, pela Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa, onde é investigador do CIAUD – Centro de Investigação em Arquitetura, Urbanismo e Design. De momento, encontra-se a desenvolver uma investigação Pós-Doc intitulada “Posicionamento Gráfico da Marca. A compreensão e percepção de valor nos signos de identidade visual”.

O investigador dedica-se ao estudo do design desde 1993, sendo técnico de design nível III pela Escola Secundária Nuno Álvares de Castelo Branco; licenciado em Design de Comunicação e Técnicas Gráficas, Variante Design Gráfico e Publicidade (ESTGP); e mestre em Design, Materiais e Gestão de Produto pela Universidade de Aveiro, onde defendeu a dissertação intitulada “Gestão de Identidade Corporativa: do signo ao código”.

Entre 2006 e 2010 foi director do curso de Licenciatura em Design de Comunicação e Produção Audiovisual, e de 2010 a 2014 foi director do Mestrado em Design Gráfico do IPCB/ ESART em associação com a FAUTL.

Membro e fundador da Associação Nacional de Designers, da qual foi secretário de Direcção e Presidente da Assembleia Geral, desenvolveu ainda actividade profissional como Designer de Comunicação por conta de outrem e em regime freelancer.