Hospital de Cantanhede fecha ano sem dívidas e com mais consultas e cirurgias

O Hospital do Arcebispo João Crisóstomo, em Cantanhede, terminou o ano de 2016 com um EBTIDA positivo e zero dívidas a fornecedores, o que, de acordo com o actual Conselho de Administração (CA), “sustenta a estratégia da Tutela do Ministério da Saúde em manter este hospital na esfera pública, continuando a servir os interesses da população de Cantanhede e de outros municípios limítrofes”.

Em comunicado, o CA, refere ainda que, desde que entrou em vigor o Despacho nº 5911-B/2016 que estipula os critérios referentes ao LAC – Livre Acesso e Circulação do Cidadão no Serviço Nacional de Saúde, o HAJC viu a procura de consultas de especialidade hospitalar crescer 77%.

“Destacamos como projeto relevante para 2017 a criação de uma unidade de referência na área dos cuidados paliativos em consonância com o Plano Estratégico para o Desenvolvimento dos Cuidados Paliativos para o biénio 2017-2018 em articulação estreita com os CHUC e o ACES Baixo Mondego”, acrescenta o comunicado.

Para o presente ano, o CA pretende ainda reforçar a actividade do bloco cirúrgico e das consultas de especialidade, “consubstanciando a sua actividade numa lógica de economia, eficiência e eficácia e contribuindo, com a sua quota-parte, para a sustentabilidade do SNS que se quer universal e tendencialmente gratuito e onde palavras como equidade, qualidade e segurança encontram a sua razão de ser”.

Queremos elogiar os nossos funcionários pelos resultados obtidos e dedicar-lhes os resultados ora alcançados e também transmitir uma palavra de esperança pelos passos dados na senda da consolidação do HAJC no seio do SNS.

HAJC em números (referentes ao ano de 2016 e em relação às metas estabelecidas)

Cirurgia do ambulatório:

  • Intervenções cirúrgicas: 127,8%
  • Doentes intervencionados: 112,7%

Consultas médicas:

  • Consultas via CTH: 109,7%
  • Total de consultas: 104,5%