Folk 2018: O melhor do folclore internacional em Cantanhede

O melhor do folclore internacional está quase de regresso a Cantanhede. A realizar-se pelo 13.º ano, a Semana Internacional de Folclore – Folk Cantanhede acontece de 7 a 14 de Julho e conta com a participação de sete grupos internacionais.

Este ano, o Grupo Folclórico Cancioneiro de Cantanhede, organizador do evento, traz ao Folk os sons e tradições da Sérvia, Polónia, Suíça, Guiné Bissau, Bolívia, Croácia, Taiwan e Hungria.

“Este ano temos uma maioria de grupos europeus, pois houve essa preocupação, uma vez que se celebra o Ano Europeu do Património Cultural”, explicou Carlos Maltez, durante a apresentação do evento que teve lugar no Hotel Marialva Park, em Cantanhede, no passado dia 9 de Maio.

Este ano o evento contará com mais um dia de festa e com quatro galas internacionais. Uma primeira gala, de nome Jaime Cortesão, acontece no dia 7 de Julho, em Ançã. Segue-se Febres, com a gala Terra d’ Ouro, no dia 8 de Julho, no Pavilhão Multiusos local.

A terceira gala decorre na Tocha, na sexta-feira, dia 13 de Julho, no âmbito das festas da Nossa Senhora Da Tocha e a gala final, é, como já vem sendo hábito, em Cantanhede, na gala Marquês de Marialva, que acontece a 14 de Julho.

Nos restantes dias, os grupos levarão a sua folia a várias freguesias do concelho mas também a concelhos vizinhos, como é o caso de Coimbra, Águeda, Anadia, Mira e Montemor-o-Velho.

Para além das actuações, a semana dedicada ao folclore nacional e internacional inclui ainda várias oficinas de dança, visitas guiadas pelo distrito e momentos de convívio, principalmente durante o Espaço Folk, uma novidade introduzida em 2014 e que se tem vindo a revelar um sucesso.

Deste modo, a partir de dia 11, e até ao final do certame, o Jardim da Praça Marquês de Marialva tornar-se-á o ‘palco’ predilecto para o convívio intercultural. Para além de tasquinhas, exploradas por seis associações locais, haverá ainda apresentações diárias de dois dos grupos participantes.

“O Espaço Folk traz os grupos ao coração da cidade”, frisou Aidil Machado, presidente da União das Freguesias de Cantanhede e Pocariça.

Mais uma vez o Folk inclui ainda o Folk Famílias, cujas inscrições já estão abertas, e que tem como objectivo reunir à mesa folcloristas e famílias do concelho. “As famílias inscrevem-se e no dia 13, ao almoço, recebem elementos dos vários grupos internacionais, para lhe dar a conhecer a nossa cultura e gastronomia”, explicou Carlos Maltez.

Para a organização do evento, o Cancioneiro de Cantanhede conta com o alto patrocínio do Município de Cantanhede e com os apoios da Crédito Agrícola, Freixial Shopping, Escola Pedro Teixeira, das Juntas de Freguesia e de muitas outras entidades privadas e associações locais e do concelho. Um dos apoiantes é a Turismo do Centro, que se fez representar por Carlos Figueiredo, que destacou “o momento ímpar e de registo que é o Folk, pois é um momento de comunhão e de troca de experiências”.

Helena Teodósio, Presidente da Câmara Municipal de Cantanhede, elogiou a iniciativa assim como o Cancioneiro, referindo que é com expectativa que o município espera mais uma edição do certame que “tem sido um motivo de orgulho para todos nós”. Respondendo a um repto colocado anteriormente por Carlos Maltez, a edil aproveitou a ocasião para anunciar que, juntamente com o seu executivo e demais bancadas da assembleia, tudo será feito para que Cantanhede possa finalmente ter um auditório municipal digno de receber eventos de grande envergadura, como é o caso do Folk.