Feriado Municipal de Cantanhede assinalado com homenagens e distinções

No passado dia 25 de Julho, Feriado Municipal, celebrou-se mais um dia da Cidade de Cantanhede no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Na mesa de honra estiveram o Presidente da Câmara Municipal, João Moura, o Presidente da Assembleia Municipal, José Maria Maia Gomes, Margarida Neto, professora da Universidade de Coimbra, assim como Marco António, perfeito de Cantanhede do Maranhão (Brasil) e Filomena Figueiredo, vereadora de Rio Maior, ambas cidades geminadas de Cantanhede.

Na sua intervenção João Moura lembrou que estamos em ano de autárquicas, “o que, corresponde ao encerramento de um ciclo e à abertura de outro” e, num discurso com sabor a despedida, referiu algumas entidades e pessoas a quem considera ser devido #um testemunho de reconhecimento#.

“Começo por aqueles que, ao longo destes anos, integraram o executivo camarário, todos sem exceção, incluindo naturalmente os da oposição. Não tenho dúvidas de que as posições que assumiram foram sempre tomadas na presunção do que consideravam ser o melhor para o concelho”, iniciou.

João Moura lembrou ainda os Presidentes de Junta com os quais trabalhou, assim como todos os membros das Assembleias de Freguesia e da Assembleia Municipal, “deixando a todos, independentemente da força política que representam, o testemunho do meu apreço pelo modo como dignificaram os cargos para que foram eleitos na defesa dos superiores interesses do concelho”.

Valorização dos bons exemplos

O edil reforçou que celebrar o Feriado Municipal de Cantanhede é “celebrar uma identidade construída ao longo de gerações, numa manifestação de respeito pela história, aqui entendida como factor que ajuda a dar sentido às realizações do presente”.

“A memória é na verdade um fator estruturante da identidade e eu não vejo melhor asserção para justificar o que hoje aqui se comemora, sendo certo que o fazemos livres de quaisquer amarras relativamente ao passado e sempre com os olhos postos no futuro”, partilhou, acrescentando que “os bons exemplos são sempre as melhores referências quando tratamos de identificar aquilo que de mais relevante queremos assinalar na nossa identidade coletiva”.

Neste sentido, João Moura procedeu ao voto de Louvor e Reconhecimento a Noémia Castelo Branco, Joaquim Louro, António Teixeira, Alves André, Licínio dos Santos e à Adega Cooperativa de Cantanhede, “distinguindo, deste modo, o mérito da acção que desenvolveram nas respectivas áreas de actividade”.

Um a um os homenageados receberam uma medalha e um diploma, “pelo exemplo de vida que representam para a comunidade”. Noémia Castelo-Branco foi a primeira a ser homenageada e protagonizou um dos momentos mais emocionantes desta cerimónia, com os presentes a aplaudirem de pé. Professora de Matemática durante largas décadas, foi perante vários dos seus antigos alunos que agradeceu esta distinção, lembrando o apoio fundamental da família e recordando o marido, já falecido.

No ramo empresarial foram homenageados Joaquim de Freitas Louro, da empresa Irmãos Louro, e António Madeira Teixeira, da Fapricela, dois nomes de peso no desenvolvimento económico e empresarial do concelho. Pelo valor artístico foi ainda homenageado Celestino Alves André, escultor e autor de obras de arte de bronze que levam o nome de Cantanhede mais longe, e Licínio Ferreira Alves dos Santos (falecido em 2016), jornalista e correspondente muito conceituado na região e cuja medalha foi entregue a familiares.

Por fim, o voto de Louvor foi ainda entregue à Adega Cooperativa de Cantanhede, na pessoa do presidente Victor Damião, que aproveitou a ocasião para reforçar a importância dos sócios, “que trabalham o ano todo para nos dar as suas uvas. Sem eles a Adega não existia”.

A cerimónia prosseguiu com uma conferência, dinamizada por Margarida Neto, professora de História na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, sobre “Os Menezes de Cantanhede”.

Funcionários distinguidos

Como já vem sendo hábito, o Dia da Cidade foi escolhido novamente para distinguir, com uma Medalha de Dedicação pelos serviços prestados ao Município e à causa pública durante mais de 25 anos, os seguintes funcionários: António Almeida; Carlos Sequeira; Euclides Ribeiro; Fernando Matos; Isabel Neves; Joaquim Loureiro; Joaquim Costa; Maria Leonor Pais Alves; Olga Dias; Paulo Batista e Vitor Silva.

Prémio Lima de Faria

A sessão solene do Feriado Municipal foi ainda palco da entrega do Prémio Professor Doutor Lima de Faria a Luís Henrique Cerveira da Cruz Pinto, o aluno que terminou com melhor média (19 valores) o ensino secundário no concelho de Cantanhede, durante o ano lectivo de 2015/2016.

“Este é sempre um acto com grande significado para quem valoriza o talento, o esforço e o mérito. Muitos parabéns Luís Henrique, pela capacidade que demonstraste e pelo teu exemplo de trabalho. Estou certo de que vais prosseguir com a mesma dedicação a carreira universitária que entretanto iniciaste”, frisou o autarca, que entregou ao agora aluno da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra o diploma de vencedor e ainda um cheque no valor de 750 euros.