Fé, cozinha e futebol de mãos dadas no Seixo

Fernando Santos, o seleccionador nacional de futebol, foi quem fez a apresentação do livro “Ao Sabor da Bíblia”, da autoria do chef Luís Lavrador e que decorreu na terra natal do autor, Seixo (Mira), numa sessão em que participou também a editora Zita Seabra.

O convite foi feito e o povo do Seixo de Mira (e não só) aderiu em massa ao evento de apresentação do livro “Ao Sabor da Bíblia” do chef Luís Lavrador, a cargo do seleccionador nacional de futebol Fernando Santos.

Cerca de três centenas de pessoas encheram, no passado dia 18 de Fevereiro, o Salão Paroquial de Seixo (Mira), para ouvir um dos mais acarinhados filhos da terra, Luís Lavrador, mas também para conhecer pessoalmente Fernando Santos, o homem que ajudou Portugal a conquistar o título de Campeão Europeu de Futebol.

Foi perante esta vasta plateia que Fernando Santos começou por considerar Luís Lavrador como mais de que um colega, “um amigo”. Assumindo-se como um homem católico e de fé, o seleccionador nacional caracterizou o livro “Ao Sabor da Bíblia” como uma forma diferente e original de se viver a religião, e onde o chef une os seus três grandes amores: “O amor à família, a Deus e à cozinha”.

“Assim como uma boa homilia, um bom livro também nos pode ajudar a viver a fé, mas não altera, como é óbvio, a forma como olhamos para Deus”, considerou Fernando Santos, recordando, numa terra muito católica, que só existe uma fé, “há é muitas fezadas”.

Com várias intervenções que provocaram gargalhadas na audiência, Fernando Santos recordou ainda episódios menos bons, como a morte do pai, em que a sua fé teve um papel muito importante, mas também momentos felizes, como a vitória no Campeonato Europeu.

Visivelmente emocionado “e surpreendido com uma recepção deste tamanho, que tem um sabor ainda mais especial”, Luís Lavrador explicou como chegou à escrita deste livro, “um longo caminho que começou em 2008”, e que conta com o cunho da Alêtheia Editores.

Sem adiantar muitos pormenores, “afinal o livro é para comprar e ler”, explicou como a inspiração para a obra partiu da leitura da Bíblia, onde várias passagens se referem a alimentos e à forma como são confeccionados e levados à mesa. “São receitas que convidam a experimentar quadros vivos de religiosidade”, acrescentou.

Também presente, Tiago Cruz, Presidente da Junta de Freguesia do Seixo, referiu tratar-se de mais uma iniciativa que mostra a mobilização das pessoas: “É bom e reconfortante que eventos deste género mereçam o interesse e a confiança de todos vós”.

“Luís Lavrador é um homem do mundo que mostra o amor à sua terra”, frisou o autarca, agradecendo a oportunidade de fazer a apresentação “na sua, nossa terra, o nosso Seixo”.

Sobre o seleccionador, Tiago Cruz recordou que “não há equipa sem liderança”, e, como tal, “em nome de todos os portugueses, digo-lhe que nunca o esqueceremos. Tenho a certeza de que falo em nome de todos quando digo que todos lhe agradecem um momento que nunca esquecerão”.

Raul Almeida, Presidente da Câmara Municipal de Mira, também tomou a palavra para reforçar a “grande honra de receber o chef Luís Lavrador e de ter um homem como ele a representar a nossa região”. A Fernando Santos, Raul Almeida agradeceu, “pelo penta do Futebol Clube do Porto mas, principalmente, pela esperança que deu a todos os portugueses durante o Europeu”.

No final da sessão, que contou com um momento musical e uma representação teatral, houve ainda espaço para o público colocar perguntas, assim como um momento de autógrafos, onde foram muitos a querer a assinatura do chef e do seleccionador, bem como uma fotografia com Fernando Santos, que acedeu, sempre com boa disposição.

 

Bi(bli)ografia

Luís Lavrador é natural do Seixo de Mira, onde nasceu há 58 anos. Docente na Escola de Hotelaria de Coimbra e chef da Selecção Portuguesa de Futebol, foi o primeiro chef português a tirar o doutoramento em Portugal (Turismo, Lazer e Cultura pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra).

Oriundo de uma família católica e praticante, foi na Bíblia Sagrada que encontrou inspiração para a sua tese de doutoramento, que agora apresenta no livro “Ao Sabor da Bíblia”. A obra evidencia as marcas diferenciadoras e também a base comum entre as mesas dos judeus e dos cristãos e, antes disso, a vivência da refeição como experiência de paixão e de afecto, de bênção e de punição – tudo isto para mostrar também a sua componente simbólica e espiritual. Nas palavras do autor, e citando Eça de Queiroz, depois de um percurso histórico e de contexto mais teórico, “Ao Sabor da Bíblia” propõe-se entregar o discurso às caçarolas.

A obra publicada pela Alêtheia Editores é, portanto, um livro de receitas, mas também um livro de história e de antropologia. E uma vez que o texto bíblico é rico e descreve um grande número de refeições, Luís Lavrador sugere um conjunto de ementas inspiradas nas mais importantes refeições bíblicas, com propostas de ementa para o Natal, para a Páscoa, para um banquete, ou mesmo para um dia de lazer, entre outras. Os alimentos, os temperos, as formas de confecção propostas são as descritas na Bíblia, naturalmente com um trabalho de reconstituição que respeita o rigor histórico, e com o livro sagrado como guia – guia da alma e guia gastronómico.