Favas para todos

Nos dias 12,13 e 14 de Maio, a aldeia de Ourentã volta a ser a capital da fava.

A Festa da Fava está de volta para a sua 9.ª edição e traz boa gastronomia, música e muita animação.

Organizada pelo Rancho Folclórico “Os Bairradinos” de Ourentã, a iniciativa arranca no dia 12, pelas 18h30, com os jantares a começarem a ser servidos logo a partir das 19h30. Segue-se animação com o karaoke do Pancinhas.

No sábado (dia 13), os almoços serão servidos a partir das 12h00 e os jantares a partir das 19h00. A noite fica a cargo do Grupo Yankees (23h00) e do DJ REYS (2h00).

Domingo (14), último dia do festival da Fava, há almoço a partir das 12h00 e animação pela tarde fora. Primeiro, com o grupo de bombos “Só Pedra”, de Portunhos (15h30) e depois com uma mega aula de zumba, com as professoras Xana Nora e Débora Abreu, à qual se segue a actuação do grupo “Giroflé”. A noite encerra com o espectáculo do Grupo de Concertinas de Sepins.

No recinto da festa haverá três tasquinhas, dinamizadas pelo Rancho Folclórico “Os Bairradinos” de Ourentã, o Centro Social Paroquial de Ourentã (CSPO) e a Comissão de Festas 2017, e onde a fava, como não podia deixar de ser, vai ser “rainha”.

Entre os pratos que os visitantes poderão provar estão a sopa de fava, as tradicionais favas com chouriço, favas com leitão, negalhos com favas, entre outros,… sempre acompanhados com os melhores vinhos da Bairrada.

Segundo José Silva, presidente do rancho organizador do evento, no total, a organização espera que sejam gastos cerca de 600 quilos de favas, durante os três dias do festival.

Quanto às expectativas, José Silva afirmou ao AuriNegra que “são sempre altas. Esperamos superar o ano anterior, no que diz respeito ao número de visitantes. Continuamos a ter três tasquinhas, que servem várias iguarias gastronómicas, e sete expositores, com artesanato local. Como tem vindo a acontecer nas edições anteriores, temos a vantagem de ter o recinto, das tasquinhas e bar, cobertos por uma tenda com 250 metros quadrados, o que permite um ambiente mais acolhedor, independentemente das condições climatéricas”.