Fábrica de brinquedos (reciclados) do Pai Natal muda-se para a Universidade de Aveiro

Dezenas de carros, motas, comboios e aviões. Jogos e instrumentos musicais eletrónicos para todos os gostos. E muitas bonecas e peluches. O que fazem todos estes brinquedos em segunda mão e estragados nas oficinas do Departamento de Eletrónica, Telecomunicações e Informática (DETI) da Universidade de Aveiro (UA)? Aguardam que os estudantes os arranjem para que na noite de Natal ganhem uma segunda vida nas mãos de crianças economicamente desfavorecidas. A iniciativa junta a solidariedade à possibilidade dos futuros engenheiros eletrónicos aplicarem os seus conhecimentos em casos reais.

O projecto dá pelo nome de Sharetoy, é da responsabilidade dos estudantes do IEEE Student Branch da UA e do Núcleo de Robótica Diversificada (NERD) do DETI e, numa primeira fase, apelou à comunidade académica para doar brinquedos usados, mesmo que estragados. Agora o tempo é de fazer o diagnóstico às várias centenas brinquedos e jogos oferecidos e reparar os muitos que, por estarem estragados, estavam já prontos para ir para o lixo.

“Para além de querermos melhorar o Natal de muitas crianças com a entrega dos brinquedos recolhidos, queremos também que esta iniciativa tenha um caráter pedagógico para os estudantes da UA”, apontam os responsáveis pela iniciativa Pedro Magalhães e Miguel Ferreira, respetivamente do IEEE Student Branch da UA e do NERD. Para quem ainda quiser participar, seja com a entrega de brinquedos, seja com uma mãozinha, os estudantes lembram que há vários pontos de recolha espalhados pelo campus e que toda a ajuda nas oficinas, que abrem as portas todas as quartas feiras, é muito bem-vinda.

Brinquedos entregues ao Hospital e à Cáritas de Aveiro

“Por vezes esquecemo-nos das dificuldades que algumas famílias sentem e o quão difícil é despender algum dinheiro em brinquedos para as crianças”, lembram. Por isso, “o ShareToy pretende dar um sorriso a essas crianças enquanto que cultiva a partilha de experiências e de conhecimento entre os estudantes”.

O trabalho de reparação, que envolve várias dezenas de estudantes, sobretudo do Mestrado Integrado em Engenharia Eletrónica e Telecomunicações, está a decorrer desde novembro naquela que é uma autêntica fábrica de montagem e reparação de brinquedos. No espaço improvisado no DETI há mesmo vários ateliers – entre o de impressão e modelação 3D, o de limpeza e costura, o de adaptação, diagnóstico e o de reparação eletrónica – por onde, e dependendo da área de interesse, os estudantes podem escolher dar o seu contributo.

Para além das reparações, os estudantes estão também a adaptar brinquedos eletrónicos de forma a que possam ser utilizados por crianças com necessidades educativas espaciais.

No final da campanha os brinquedos vão ser doados à Pediatria do Hospital Infante D. Pedro, em Aveiro, e à Cáritas Diocesana, também de Aveiro, instituições que vão fazer chegar os presentes às crianças de famílias que, de outra forma, não teriam possibilidade de preencher os sapatinhos.

Autor: Departamento de Comunicação da Universidade de Aveiro