Exposição “Nasceu um menino” na Biblioteca Municipal de Cantanhede

Na Biblioteca Municipal de Cantanhede, foi inaugurada, no dia 5 de Dezembro, a exposição Nasceu um Menino, constituída por 109 presépios em cerâmica, criados por um grupo de artesãos de Coimbra.

Na mostra deste ano participaram os artesãos Alexandra Rocha, Álvaro Portugal, Isabel Parente, Isabel Ribeiro, Maria da Conceição Martins, Teresa Castro e Vítor Assunção.

Este é já o 14.º ano em que a Biblioteca Municipal reserva o mês de Dezembro para expor trabalhos sob a temática “presépio”. A exposição “Nasceu um menino” permite conhecer a riqueza e diversidade do artesanato em cerâmica, traduzidas na sensibilidade de cada artista representado, quer na originalidade das formas, quer nos processos utilizados no fabrico das peças expostas.

Sobre os artesãos

Maria Alexandra Rocha nasceu em Margaride, em 1944. Começou a fazer presépios a partir de 1967 e foi aluna do Mestre Victor Bizarro. Expõe os seus trabalhos em mostras cerâmicas desde 2010.

Álvaro Portugal nasceu no Porto, em 1957. É licenciado em Pintura, pela Escola Superior de Tecnologias Artísticas de Coimbra e em Engenharia Civil, pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Expõe regularmente desde 1998.

Isabel Parente nasceu em Coimbra, em 1963. Há alguns anos que se dedica à arte de trabalhar o barro, paixão que sente desde a infância. Teve como Mestre o ceramista Victor Bizarro. Para além dos presépios, gosta de criar figuras em barro da Rainha Santa Isabel, Santo António, São João, São Pedro.

Isabel Ribeiro é professora de Ensino Básico. Sentiu o gosto pela arte cerâmica desde muito jovem. Aprendeu a arte da cerâmica com artesão e Mestre Victor Bizarro.

Maria da Conceição Martins nasceu na Marinha Grande, em 1957. Frequentou várias formações de olaria, no Inatel, sob a orientação do Mestre Victor Bizarro. No Cearte (Centro de Formação Profissional do Artesanato) frequentou formações de olaria.

Teresa Castro nasceu na Figueira da Foz, em 1959. Desde muito jovem que se dedica às artes decorativas. Em 2011 iniciou a aprendizagem da arte de trabalhar o barro.

Vitor Assunção é natural concelho de Mêda, Beira Alta. Desde jovem que sente o gosto pelas artes manuais, mas só após a aposentação é que começou a ocupar o tempo disponível na arte da olaria.

Todos os ceramistas participam regularmente em feiras de artesanato e exposições, na região centro.