Exposição “Escritoras Portuguesas” na Biblioteca Municipal de Cantanhede

Até ao próximo dia 30 de Abril, a Biblioteca Municipal de Cantanhede tem patente uma exposição de pintura “Escritoras Portuguesas”, realizada pela pintora Maria Leonor e por Jorge Vicente Correia.

A mostra foi inaugurada no passado dia 6 de Abril e é uma estreia dos dois artistas neste equipamento cultural, tendo como principal particularidade o facto ter sido efectuada a duas mãos. Em cada tela os pintores expressam na sua realidade a imagem de diversas escritoras portuguesas, criando assim uma simbiose perfeita entre ambos, permitindo a criação de magníficas demonstrações de arte.

A mostra é constituída por 10 trabalhos, óleos sobre telas, representando figuras de 10 das mais significativas escritoras portuguesas, nomeadamente Agustina Bessa Luís, Ana de Castro Osório, Ana Maria Magalhães, Clara Pinto Correia, Florbela Espanca, Isabel Alçada, Lídia Jorge, Natália Correia, Sophia de Mello Breyner Andresen e Teolinda Gersão.

Sobre Maria Leonor Cabral

Maria Leonor Cabral Correia nasceu em 1940, na cidade da Guarda. Licenciada em Filologia Germânica, manifestou desde sempre interesse pelas artes plásticas.

Após a aposentação tem-se dedicado à actividade artística, que foi aperfeiçoando com a participação nos Cursos de Pintura da Escola Profissional de Artes de Coimbra, ARCA – EAC (1997), do Grupo Regional de Pampilhosa do Botão (1998), da Escola Vasco da Gama, em Coimbra (2001) e no Atelier de Nuno da Fonseca, em Coimbra.

 

Maria Leonor Correia expõe desde 1997 e entre as várias exposições em que participou, destacam-se as mais recentes que realizou na Biblioteca Municipal de Mangualde (2011), na Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, em Coimbra (2017), no Café Santa Cruz, em Coimbra (2018) e na Biblioteca Municipal de Meda (2018).

Sobre Jorge Vicente Correia

Jorge Vicente Correia é natural de Coimbra, onde nasceu em 1937. É licenciado em História pela Universidade de Coimbra. Foi professor de desenho de 1960 a1971 no Colégio S. José e Santa Maria, em Mangualde, e também e integração dos Cursos Técnico-Profissionais na ARCA – EAC, Coimbra.

Autodidata, por não lhe ter sido possível ingressar na Escola de Belas Artes no Porto conforme seu desejo, Jorge Vicente dedicou muito do seu tempo a desenhar para a família e amigos.

Depois da sua aposentação como professor do ensino público, retomou a pintura, a sua actividade predileta e frequentou os Cursos de Pintura da Escola Profissional de Artes de Coimbra (ARCA – EAC), em 1997 e da Escola de Pintura do Grupo Regional da Pampilhosa do Botão (1999/2001). Neste período foi convidado para ser monitor dos Cursos Livres de Pintura, na Pampilhosa, Mealhada.

Não tendo, até à presente data, exposto ao público, de forma individual, algumas obras do autor foram realizadas a pedido e estão expostas na Escola Secundária Felismina Alcântara, em Mangualde (retrato a óleo sobre tela, da Professora Felismina Alcântara) e no Auditório do serviço de Ortopedia VI, Hospitais da Universidade de Coimbra (retrato a óleo sobre tela, do Professor Norberto Canha).

Tem feito, desde 1996, várias dezenas de obras por encomenda, para diversos colecionadores e figuras públicas.

Jorge Correia participou em várias exposições coletivas das quais se destacam as mais recentes que realizou na Biblioteca Municipal de Mangualde (2011), na Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, em Coimbra (2017), no Café Santa Cruz, em Coimbra (2018) e na Biblioteca Municipal de Meda (2018).