Expofacic “mostra-se” em Madrid

Todos os anos Madrid transforma-se na capital do turismo através da FITUR, a maior feira internacional da área, e por onde, entre os dias 18 a 22 de Janeiro, passaram centenas de empresas e entidades de cerca de 160 países.

Pela primeira vez, Cantanhede também esteve presente, através da Expofacic. A Comissão Organizadora quis “mostrar” a Feira Comercial, Industrial e Agrícola aos “nuestros hermanos” mas também aos milhares de visitantes de todo o mundo, que percorrem o certame dedicado ao turismo.

Num stand colorido e com direito a um novo logótipo, a Expofacic foi apresentada aos visitantes através de um vídeo promocional com cerca de seis minutos, em Inglês e Castelhano, e que junta todos os atractivos e ingredientes da feira-festa, que este ano celebra a sua 27.ª edição.

Ao AuriNegra, João Moura, presidente da Comissão Organizadora da Expofacic, referiu que a participação na FITUR foi um dos objectivos traçados para 2017, ano em que a tónica continua a ser na consolidação e na internacionalização do certame: “Estar na FITUR é um passo importante, é subir mais um degrau. Como tenho vindo a repetir muitas vezes, mais do que crescer, importa consolidar a feira e continuar a fazer incrementos de qualidade, ano após ano. Chegou o momento em que temos que pensar numa perspectiva da internacionalização e daí termos decidido estar presentes na FITUR”.

Depois de na edição de 2016 terem estado presentes quatro expositores estrangeiros, segundo João Moura, é agora altura “de abrir mais portas para Espanha e outros países e continuar a crescer de forma sustentada e de pés bem assentes na terra”.

“A Expofacic tem vindo a afirmar-se, principalmente na última década, e o que queremos é manter e fidelizar o público mas também atrair e cativar visitantes que nunca lá entraram”, acrescentou.

Para o autarca, a Expofacic é “uma feira para todos. Nos últimos anos demos um salto qualitativo e quantitativo enorme a nível de visitantes. Todos nós entendemos que se, à vertente comercial, industrial e agrícola, que com certeza puxa um determinado sector da população, aliarmos um cartaz de espectáculos, conseguimos melhores resultados. E este é um modelo que ainda não se esgotou e que cria uma sinergia enorme. As pessoas vêm à feira por causa do cartaz de espectáculos, mas antes vão às tasquinhas, onde sabem que comem bem, e vão visitar os stands”.

Embora esta tenha sido a primeira vez que a Expofacic marcou presença na Fitur, os frutos já começaram a aparecer, como referiu António Patrocínio Alves, Presidente da Inova EM: “Já fomos abordados por alguns expositores que estão cá dentro [FITUR] e que querem participar na Expofacic, já nesta edição de 2017”.

“Não estamos à espera de ver logo grandes resultados. O caminho faz-se caminhando, como costumo dizer, mas os sinais são bons”, frisou Patrocínio Alves. Sem levantar o véu, o presidente da Inova referiu ainda que o cartaz de artistas está praticamente fechado e que os nomes, nacionais e internacionais, serão divulgados em breve.

Todos rumo a Madrid

Como forma de agradecimento pelo trabalho e dedicação à Expofacic, a Comissão Organizadora decidiu premiar os funcionários da INOVA e da Câmara Municipal ligados directamente à organização da feira-festa com a viagem a Madrid.

Mais de 100 pessoas, incluindo os jornalistas dos órgãos de comunicação social regionais e locais – entre os quais o AuriNegra, tiveram a oportunidade de conhecer aquela que é uma das maiores feiras de turismo do mundo mas também a cidade de Madrid, passando pelos principais pontos turísticos e com direito a degustar alguns pratos tradicionais, como a paella e o cozido madrileno.

Durante todo o fim-de-sema, Cantanhede fez-se representar pela capital Espanhola com uma comitiva bem-disposta e alegre.

“Pensámos que poderia ser um bom momento para todos os colaboradores, aqueles que de forma intima têm trabalhado ao longo dos anos na Expofacic, terem a possibilidade de, ao longo de mais 24 horas, estarem em convívio. A coesão de grupo é muito importante, principalmente numa ‘família’ que tem que ser unida, que tem que ser convergente e que tem que ter uma linha condutora”, referiu João Moura.

Já Patrocínio Alves destacou o esforço e a dedicação “destes funcionários que estão diariamente na Expofacic e não só nos 11 dias que duram a feira […]. Trabalham antes, durante e depois e têm todos funções extremamente importantes”.