Expofacic: mais uma edição marcada pelo sucesso

O fogo-de-artifício de domingo passado (6 de Agosto), embora camuflado por um intenso nevoeiro, marcou mais um encerramento da Expofacic, que este ano celebrou a sua 27.ª edição, novamente coroada de sucesso.

O balanço, segundo a Comissão Organizadora, foi “bastante positivo”.“Conseguimos fazer desta Expofacic, uma das mais bem conseguidas dos últimos anos”, frisou António Patrocínio Alves, presidente do Conselho de Administração da INOVA, empresa responsável pela organização do certame, num jantar que juntou a organização da feira-festa assim como patrocinadores, alguns colaboradores mais directos e a comunicação social.

Sem revelar números oficiais, Patrocínio Alves partilhou que “o primeiro dia superou o número de visitantes do primeiro dia em 2016, não se notando quebras na afluência nos seguintes dias da semana”. “A afluência do público à EXPOFACIC está perfeitamente consolidada”, assim como continua assegurada a sua autossustentabilidade.

Após elencar alguns dos elogios partilhados pelos artistas que subiram ao palco principal da feira-festa, Patrocínio Alves destacou a actuação de Mariza, “que teve uma audiência muito semelhante àquela que teve da 1.ª vez que aqui actuou, o que nos dá razão na repetição de artistas”.

Sobre as exposições que este ano foram uma das grandes apostas da Expofacic, o responsável referiu que houve uma superação das expectativas, principalmente em relação às exposições Arte em Peças e à do Exploratório de Coimbra que tiveram o maior número de visitantes.

Patrocínio Alves também não esqueceu o sucesso da Noite Branca, que no sábado levou milhares de pessoas ao recinto da Expofacic, onde actuaram C4 Pedro e Matias Damásio. A onda de solidariedade também se fez sentir e, embora ainda não sejam conhecidos os valores angariados com a venda de t-shirts e ímanes a favor dos Bombeiros de Cantanhede, a organização considera que “o objectivo foi largamente alcançado, com a adesão e ajuda de todos: visitantes, patrocinadores e expositores”.

O administrador da Inova falou ainda do palco 8, criado este ano para acolher espectáculos de música popular portuguesa, “e que acabou por ter pouca afluência”. Ainda assim, reforça, a aposta neste tipo de música deverá continuar, mas nos palcos já existentes. Outra das novidades desta edição da Expofacic foi a zona lounge, que embora tenha tido poucos visitantes nos primeiros dias, foi sendo cada vez mais frequentada. “E por isso é para continuar, mas com variedade no tipo de comida streefood ali vendida”.

Já João Moura, presidente da Câmara Municipal de Cantanhede e da Comissão Organizadora do certame, salientou o crescimento do “processo de afirmação e consolidação do certame” no contexto nacional. “Está provado que a Expofacic já ganhou asas para voar e que importa pensar no futuro, requalificar o espaço que recebe a feira e reforçar a estratégia de afirmação no contexto nacional e internacional”, sublinha.

Agradecendo a todos os que colaboraram nesta edição da Expofacic, João Moura referiu que “em que equipa que ganha não se mexe”, e que, mais uma vez, “o sucesso da feira é o sucesso de todos”, e resulta da soma de todos os atractivos que fazem desta “a melhor feira-festa do país”: cartaz de artistas, boa gastronomia, parte cultural, zona agrícola, sector industrial e empresarial.