Especialistas debateram a “Baga – A Casta, o Vinho, a Região” em Cantanhede

“Creio que a Bairrada, enquanto região vitivinícola, tem muito a beneficiar com a aposta na diferenciação pela qualidade e pelo carácter distintivo dos seus vinhos, procurando orientar a oferta para segmentos de mercado que escapam às lógicas dominantes dos grandes produtores”. A afirmação foi proferida pela presidente da Câmara Municipal de Cantanhede, Helena Teodósio, na abertura do congresso Baga – A Casta, o Vinho, a Região, que decorreu no auditório do Biocant Park, no passado dia 30 de Novembro.

Perante mais de 150 profissionais da actividade vitivinícola, a autarca referiu-se aos objectivos da iniciativa, enfatizando o propósito de “fomentar a reflexão sobre algumas das principais questões relacionadas com produção de vinhos da casta identitária da Bairrada, de modo a perspectivar novos desafios tendentes a ampliar o seu reconhecimento pelos especialistas, reforçar a implantação dos seus vinhos nos mercados e potenciar ainda mais o seu valor económico”.

Promovido ao abrigo de uma parceria da Câmara Municipal com a revista Grandes Escolhas, a Adega Cooperativa de Cantanhede e as empresas Kompassus e Quinta de Baixo, o congresso contou com o apoio da Comissão Vitivinícola da Bairrada e da Turismo Centro de Portugal e incidiu na abordagem de temas como a organização das áreas de exploração, o ciclo vegetativo da vinha, características enológicas, estratégias comerciais e também o seu papel na afirmação da região do ponto de vista enoturístico.

Sobre esta última questão em particular, Helena Teodósio referiu que a exploração adequada da qualidade dos recursos abre imensas possibilidades ao nível do reforço da atractividade turística do concelho de Cantanhede e da Bairrada em geral, sublinhando que “a aposta da autarquia neste âmbito passa muito pelo enoturismo numa perspectiva integrada, explorando da melhor forma possível as ligações à gastronomia e a outros importantes bens patrimoniais do concelho”.

Depois da alocução da líder do executivo camarário cantanhedense o congresso prosseguiu com um painel sobre Viticultura: a Baga na Vinha, por César Almeida (DRAP-Estação Vitivinícola da Bairrada), Investigação: O Apuramento da Casta, por Antero Martins e Elsa Gonçalves (Instituto Superior de Agronomia), e Zonagem: Os Terroirs da Bairrada, por Francisco Antunes (Aliança Vinhos), e João Soares (Caves Messias) todas com debate no final.

À tarde, os trabalhos recomeçaram com uma mesa redonda sobre Enologia: Interpretar a Baga na Adega, com os enólogos e produtores Anselmo Mendes (Kompassus), Luís Pato, Mário Sérgio Nuno (Quinta das Bágeiras), Osvaldo Amado (Adega Cooperativa de Cantanhede) e Sérgio Silva (Quinta de Baixo), seguida de uma intervenção centrada em “Produto: Baga-Bairrada, Um Caso de Sucesso”, por Pedro Soares, presidente da Comissão Vitivinícola da Bairrada.

“Comunicar: A Importância da Baga como factor de Identidade Regional” foi o tema desenvolvido por Dirceu Vianna Júnior, reputado Master of Wine internacional que apresentou um olhar sobre a Baga na perspectiva de quem tem uma vasta experiência sobre a evolução do consumo e o comportamento dos mercados.

Encerrou os trabalhos o presidente do Turismo do Centro, Pedro Machado, com uma intervenção centrada na Bairrada como Destino e Produto Turístico.