Empate com alguma injustiça

Na ressaca da eliminação da Taça AFC, o Febres SC recebeu, no passado domingo (dia 3 de Abril), a formação do Grupo Recreativo O Vigor da Mocidade. A equipa da casa entrou desinibida na partida, assumindo desde início que queria conquistar os 3 pontos. Nesse sentido, Chano, com um remate forte fora da área, é o primeiro a ameaçar as redes adversárias ao minuto 15. Aos 23’ foi a vez de Luís Rodrigues tentar a sua sorte de livre direto, deixando a bola a escassos centímetros do golo. A fechar a primeira parte, o Vigor dispôs da sua única oportunidade de golo nos primeiros 45 minutos. Também de bola parada, a equipa visitante ameaçou a baliza do jovem guarda-redes Ricardo Batista, chamado à titularidade fruto das ausências dos habituais guarda-redes da equipa principal. Uma grande defesa do atleta da formação do Febres SC, que manteve as equipas empatadas ao intervalo.

Depois do descanso era necessário colocar mais homens no ataque e o Febres SC mostrou ser a única equipa com disponibilidade para arriscar e conseguir desfazer a igualdade. Diogo Luísa, aos 55’, obriga o guardião visitante a uma boa intervenção depois de um remate forte à entrada da área. Os auri negros tentavam encontrar espaços para chegar ao golo, procurando colocar mais bolas na área, mas do outro lado estava uma equipa concentrada defensivamente e satisfeita com o resultado. Aos 34’, Silva poderia ter adiantado a sua equipa no marcador quando à entrada da área, depois de um lance estudado de bola parada, atira para mais uma boa intervenção do guarda-redes. Até ao final o Febres SC colocou mais gente dentro da área, procurando tirar vantagem do futebol direto e dos cruzamentos dos seus extremos. Foi nessa altura que surgiu o lance mais polémico da partida, quando Silva reclama grande penalidade depois do colega João André ter sido obstruído dentro da grande área. A indignação do capitão Silva levou à sua expulsão com vermelho directo, passando o Febres SC a jogar com apenas dez elementos. Decisão polémica da equipa de arbitragem que nada assinalou perante a falta grave sobre o avançado do Febres SC, ficando a sensação de injustiça para a formação caseira.

Empate sem golos que deixa o Febres na 11ª posição, com 29 pontos.

Na próxima jornada os auri negros deslocam-se ao terreno do Carapinheira (primeiro classificado da Divisão de Honra da AFC), procurando anular a série de quatro jogos consecutivos sem conhecer o sabor da vitória.

 

Autor da crónica: Julien dos Prazeres