Diabetes mata 10 a 12 portugueses por dia

Novembro é o mês de sensibilização para a Diabetes. Uma altura onde soam mais alto os alertas para uma doença que ainda mata entre 10 a 12 portugueses por dia. Uma data onde se replicam as mensagens para a adopção de comportamentos adequados, acompanhados pelo devido apoio de profissionais de saúde.

A Ampliphar – empresa de referência na área da saúde em Portugal, que focaliza a sua actividade no segmento dos Cuidados Pessoais (Self Care) – associa-se a esta causa com uma comunicação de sensibilização junto das farmácias do país, destacando a importância do papel da farmácia e suas equipas – um pilar fundamental pelo conhecimento abrangente que têm dos seus utentes – em promover ações de sensibilização e informação sobre comportamentos preventivos e em prestar o aconselhamento farmacêutico adequado.

Em Portugal, por dia, são diagnosticados com diabetes cerca de 200 novos casos e 500 doentes são internados nos hospitais portugueses. A prevalência estimada da diabetes na população portuguesa com idades compreendidas entre os 20 e os 79 anos (7,7 milhões de indivíduos) é de 13,3%, isto é, mais de um milhão de portugueses. A este número somam-se mais de dois milhões de pessoas com pré-diabetes.

A pré-diabetes é como um alerta para o risco de desenvolver diabetes. No nosso país, quase um quinto dos portugueses, entre os 25 e os 74 anos, apresenta níveis de glicose no sangue que evidenciam pré-diabetes. Cerca de 70% dos indivíduos vão eventualmente desenvolver diabetes. Entre 15 a 30%, desses 70%, apresentam uma forte probabilidade de ter diabetes num prazo de cinco anos, alertaram, recentemente, especialistas de Endocrinologia.

Em média, entre dez a doze portugueses morrem a cada dia, por diabetes, revela o último relatório nacional da Direção-geral da Saúde. Mais de 415 milhões de pessoas vivem com diabetes no mundo, e esse número deve chegar a 642 milhões em 2040. Preocupantes são, também, os casos desconhecidos, ou seja, que ainda não foram diagnosticados.

Apesar dos múltiplos investimentos ao nível do diagnóstico precoce e dos avanços terapêuticos, a diabetes continua a envolver elevados custos económicos, sociais e humanos.

Com os números que a diabetes atinge em Portugal e no mundo, só uma abordagem integrada poderá ser capaz de lhe responder. O combate à diabetes, nas suas vertentes de prevenção, tratamento e acompanhamento, é provavelmente o principal desafio a vencer na próxima década em Portugal.

“Neste combate, é absolutamente essencial a adoção de uma atitude Self Care, em todas as suas vertentes, começando, desde logo, pelo diagnóstico precoce, com medição e controlo dos níveis de glicémia e, caso se justifique, rápido encaminhamento para o médico. A importância do Self Care na promoção da saúde e na prevenção de doenças agudas ou crónicas relacionadas com a idade – como a Diabetes Mellitus ou as Doenças Cardiovasculares, traduzir-se-á em mais qualidade de vida, saúde e bem-estar das populações, com consideráveis poupanças para o Estado nas despesas de Saúde”, defende Mariana Azevedo, Marketing Manager da Ampliphar.